Utilizador Discussão:Talianeto/Unificassion del talian

O conteúdo da página não é suportado noutras línguas.
Adicionar tópico
Origem: Wikcionário, o dicionário livre.
Último comentário: 25 de outubro de 2008 de 201.15.141.66 no tópico UNIFICASSION DEL TALIAN

UNIFICASSION DEL TALIAN[editar]

UNIFICASSION del T A L I A N Honório Tonial

Chi sa, che un di gavaremo la Università del TALIAN. Par intanto, volemo scominsiar el registro dei primi fondamenti de sta bela, sémplice e fàcile língua parlada par miliaia de persone ndove podemo catar i dessendenti dei nosti primi imgranti e che tuti i la dòpera. El conceto dea parola “LÍNGUA” podemo catarlo nte nantro laoro nostro, intitulà:LÌNGUA TALIAN , registrà al final de questo laoro. Ma, come far par rivarghe a la unificassion gràfica, lèssica e sintática de sto idioma? Scominsiemo con diverse Règole Pètriche del so alfabeto.

I – El alfabeto Talian el ga sinque vogae: Aa Ee Ii Oo Uu e sédase consonante: Bb Cc Dd Ff Gg H h L l Mm Nn Pp Qq Rr Ss Tt Vv Z z.

II - Le vogae e le consonante le forma tute le parole.

III - IN PRIMO POSTO VARDEMO LE CONSONANTE.: 1 1ª – B b . La sona come ntel Portoghese

  ba         be       bi     bo      bu                       
  baso       bela     bissa  bocab                                    beijo                                                             cobra            boca         buraco

Bla ble bli blo blu = blata blenora blindar(e) blocar(e) blu

                                       Barata     blenorragia      blindar          bloquear   azul     

bra bre bri bro bru = braghe breve brina broca bruna

                                        calças       breve           geada            taxa         morena 

2ª – Cc Questa consonante la pol èsser

   * “k” Ca             co                cu               che                chi  
             Ka             ko                ku               ke                  ki   = 
              Caro         colomba      curto      vache           machina 
              ( Karo        kolomba     kurto       vake              màkina 
                querido    pomba        curto       vacas            máquina
          “tch”= c (i) a        c (i) o        c (i) u               ce                     ci      
          ( tcha          tcho           tchu                 tche                 tchi      
           ciave         ciodo         ciuca                celo                 cità              
          Tchave       tchodo      tchuca              tchelo             tchità
          Chave        prego         porre                 céu                  cidade                                                             .

Cl = classe clemente clima cloro clube

       Classe    clemente     clima     cloro      clube 

Cr = crase credo crime crose crudo

       Crase    credo           crime      cruz           cru

3ª – Dd - La sona come in Portoghese

       Dama                deo              di           dona          duro
      Dama                 dedo            dia          mulher      duro

Dr = Drama padre ladri droga quadrúpede

      Drama                padre           ladrões    droga       quadrúpede

4ª- Ff – Come ntel Portoghese.

       Fame                fede              figo           fogo          fursi          
       Fome                fé                 figo          fogo         talvez
Fl   =      Flagelo              fleoma           flitar          flora        fluvial
             Flagelo              calma            flertar        flora        fluvial                          
                     F r  =     Frate                fredo              frission     fronte      fruto
                                    Frei                frio                  fricção     fronte     fruta 
                   
                      5ª – G g –Com questa consonante gavemo}
                             * Ga                     go                      gu              ghe                    ghi
                                Gato                  gobo                  gusto         teghe                  fighi
                                Gato                 corcunda           gosto         vagens                figos
                      Dj   = G(i)asso               g(i)ornal               g( i)usto       gente                  giro
                              ( Djasso                  djornal                 djusto           djente                djiro )
                                 Gelo                     jornal                    justo             gente                 giro
                      Gl  =  glabro                 gleba               glifo             glòria                glutei
                                Imberbe              gleba                grifa            glória               glúteos
                     Gn   =  gnanca               gnente               pugni         gnoco               ghuca
                                ( Nhanca              nhente               punhi        nhoco                nhuca )
                                  Nem                  nada                  socos        bobo                 nuca
                     Gr   =    Grafa                greta                  griso        gropo                grupo
                                   Garra               giz                       tordilho   nó                     grupo   
                      6ª – Hh  -  La doparemo ntel posto del “u”  portoghese :
                              che  vache            chi  bechi                   ghe teghe                    ghi fighi
                                    (  vake                    beki                            tegue                          figui )
                                      vacas                  bodes                         vagens                      figos
                       7ª – Ll – Come ntel poroghese la vien ntel scomìnsio, par meso e ntel final dele parole,                                                davanti vogae e anca davanti consonante:
                                        Lana           alto         salata      baul      lavel      colmo
                                        Lã              alto        alface      baú      lavador   cheio(tranplantando)
                         8ª - Mm – La doparemo ntel somìnsio e in meso,davanti le vogae o anca davanti le                                   consonante  “p,b”.       
                                Mama    campo        limbo
                                Mamãe    campo       limbo


                         9 ª – Nn  * Ntel scomìnsio, in meso e ntel fin dea parola: 
                                           Nano                  manera                      palmon
                                            Anão                 machado                   pulmão
                                         “ Insieme con la consonante “g” par sonar come “nh” portoghese.:
                                             Legna                  gnanca                  gnente        
                                           ( Lenha                   nhanca                 nhente )

- Lenha nem nada

                      10ª -  Pp -     Ntel scomìnsio e in mesao dele parole, davanti la vogal
                                           Palmo       capoto                  papastrel            
                                           Palmo       capote                 morcego
                     11ª – Qq -      Insieme com la vogl “u” sempre pronunsiada.
                                            Quatro                       quìndase                 sìnque
                      12ª – Rr -  Na consonante sémplice branda e davanti le vogae e consonante ntel scomìnsio, in                                           meso e al final dele parole:
                                         Ramo              tera        robar      però      arco    partir
                                         Galho             terra        roubar    porém     arco   partir


                       13ª -  Ss -  a) Doperada ntel scomìnsio dele parole, davanti  le vogae  e diverse consonante                                             diverse consonante .
                                            Sabo               sena      sigo            sono               suca
                                            Sábado           janta    grito          sono               abóbora
                                            Sbalià        sbregar         scorsa       sfacià             sgherlo     slepa      smars                                                 Erado        rasgar           casca        maleducado   manco      tapa        podre                                                                       
                                            Snasar    sposa       squara            stala            svélia
                                            cheirar   esposa     esquadro       estribaria    despertador   
                                          b) Uma “s” sola , in meso de due vogae el sona come “z”
                                               cesa          casa   rosa      mìsera          morosa
                                                igreja        casa    rosa      miserável       namorada 
                        14ª – Tt  Come ntel portoghese.
                                 Talian            tesoro         tiro                tola         tutor
                                 Talian            tesouro        tiro               mesa       tutor
                       15ª -  Vv  Come ntel portoghese:
                                  Vaca                 vecia                vin             vodo         vulcano    
                                  Vaca                velha                vinho         vazio         vulcão
                      16ª – Zz   - Come ntel portoghese ma solamente ntel scomìnsio dea parola:
                                        Zaldo             zèfiro             zio                zolar(e)                      zugo
                                        Amarelo         brisa               tio                 voar                           jogo

I IV - VEDEMO LE VOGAE

La vogal “a” la pol esser : 1.1- Preposission de posto : Preposição de lugar: ( Toni el va a Gaurama) 1. 2 - Preposission de tempo :

         Preposição de tempo:
         (El riva a le diese ore.)

1. 3 Preposission de finalità :

          Preposição de fim
          ( El va a morose)

1 . 4 – Preposission de quantità :

          Preposição de quantidade
          ( El core a setanta chilòmetri par ora.)

1. 5 - Preposission de maniera :

         Preposição de modo :
         ( Toni l'è vignisto a pié )

1. 6 - Sostantivo femenino :

           Substantivo feminino
           ( Nome dea prima letra del alfabeto)

1. 7 - Partìcola idiomàtica :

           Partícula idiomática
            ( A  te  ridi  ti.)   

............................................................................................................................ 2.1 – Vogal “ e”

         Sostantivo femenino :
         Substantivo feminino 
         ( Letra del alfabeto)

2.2 – Congiunsion Cordenativa :

         Conjunção Coordenativa 
          ( Toni e Piero - parole )        
           ( Magnar e bever - orassion )  

2.3 - Forma verbal :

          Forma verbal
          ( La  vaca la è  morta.)

2.4 - La se dópia tel plural de serte parole :

          (El ga brute idée)

......... . 3 . 1 - La vogal “I”

         Letra del alfabeto 
         3. 2 – Artìcolo mascolino plural
             ( I  bechi )
         3 . 3 – Artìcolo pronominal:
                    Lori  i  canta.
         3 . 4 – La pol dopiarse   in serti  plurai:
           (Zii   -  rii  -  rosárii – mssionàrii – calvàrii)

............................................................................................................................

         4 . 1 – La vogal “o”
           Sostantivo femenino
           ( Letra del alfabeto)
         4. 2- Congiunsion alternativa de parole o orassion:
             ( O magna  o   canta) 
        4 .  3 - Vocativo
         ( Ò... Pàtria mia..!)

............................................................................................................................

           5 . 1 – Vogal “u”
            Sostantivo femenino
            ( Letra   del alfabeto )
          5 .  2 – Tel Talian la è sempre pronunsiada.
              Quatro  questi          quìndase    quota




LE RÈGOLE DE ASSENTUASSION LE ZÉ QUESTE: As regras de acentuação são estas:

Prima : Tute le parole proparossìtone le ga assento Ex. làgrima , mónega Primeira: Todas as palavras proparoxítonas têm acento : lágrima , freira Seconda : Le parossìtone no le ga mia assento. Panoce, vecio, giugno, etc.. Segunda : As paroxítonas não têm acento.: Espigas, velho, junho,etc (Salvo quele finide par ditongo oral cressente: io, ia) Salvo aquelas terminadas por ditongo oral crescente: io , ia Esémpio: sàbia , armário , sèrio , gàbia , etc... Exemplo: areia , armário , sério , gaiola , etc... Tersa: Le ossìtone finide par consonante no le ga mai assento: bocal, patir, diman, patacon, etc.. Terceira : As oxítonas terminadas por consoante não têm acento: urinol, sofrer, amanhã, pataca, etc...


Quarta : Tute le ossìtone nò monossilàbiche finide par vogal le ga assento. Ex. café, autorità, virtù , incó, etc... Quarta : Todas as oxítonas não monossilábicas terminadas por vogal levam acento: Ex.: café, autoridade, virtude, hoje, etc.. Quinta : I monossìlabi omógrafichi assentuadi i obidirà la ierarchia gramatical : Verbo, avèrbio, agetivo, preposission, congiunsion, artìcolo. Com ( è = verbo ) ( e = congiunsion ) Le done le è sempre bele e brave ( stà = verbo esser, star) ( sta= agetivo) La stà casa sta fiola. ( la = artìcolo) ( là = avèrbio ) ( la = nota musical ) La ze là la nota musical.

( nò = Avèrbio de negassion )  ( no = congiunsion)       
(  trà = verbo ) (  tra =  congiunsion) etc...) 

( tò = verbo tor ( to = agetivo)


Quinta: Os monossílabos homógrafos acentuados obedecerão à hierarquia gramatical : Verbo, advérbio, preposição, conjunção ou artigo ( lá = advérbio la = artigo la = nota musical ) ( não = advérbio de negação nem = conjunção) Nota: Se tivermos palavras homófono-homógrafas daremos preferência para receber o assento: a) Ao verbo, por ser a palavra principal da oração ou frase. b) Ao advérbio que se relaciona ao verbo ou a outro advérbio. c) Depois, seguem-se a preposição, conjunção, e artigo.

Exemplificando: verbo: stàr Ti stà chieto. Agetivo: Sta sera ndemo a filò. “La” Nota musical. Sona la nota “la” ; “la”artìcolo : la ciave del baul “là” Avèrbio : vetu là dal zio diman?

          Plural dele parole parossìtone  finide par ditongo crescente: 
          Rio =plural rìi        zio = plural zìi       adio = adìi     colègio = colègii , etc ...
         Zia = zìe       dúzia = dùzie   busìa = busìe      stòria = stòrie, etc...
         CORIOSITÀ DEL GÉNERO DELE PAROLE FAMILIARE:


Nono - nona El nipote - la nipote sposo = sposa zio=zia Neodo = neoda Pupà-mama

Avô      avó    neto            neta         esposo  esposa        tio   tia
     omo-dona      fiol-fiola    compare-comare     santol(o)=sàntola   fiosso=fiossa   missier~madona o sòcera     zénero=nora (niora)    paregno= maregna      fiolastro=fiolastra                                                                                         

moroso=morosa cosin=cosina o derman=dermana padre=mónega frate=suora rè = regina vecio = zóveno

      el dentista = la denista   el ritratista = la ritratista      el tigre = la tigre      
      Solo mascolini:    crível      baul     baldo      papastrel          lambo ( o lamo )    ozel       
      Solo feminini :  finestra   padela     baieta      fodreta      bissaca        scarsela           casa

VERBI TALIANI . Honório Tonial

INTRODUSSION.

Dopo de ver fato scola, passa quaranta ani, la pi parte ntel insegno del Portoghese e del Talian go discoerto che “i verbi “ i deventa la parte pi importante de na sentensa. Mi credo che la “assion” la deventa la parte pi essensial de un pensamento. Anca el Creator el ga doparà i verbi par slevar el mondo “Sia fata la luce...”

La parola la se transforma in “assion.”

Par esémpio: Del pensamento vien la assion “pensar”, del “amor”, vien el verbo “amar” e cosita avanti. La parola pi forte de na orassion o frase la zé, securamente, el Verbo, la Assion che la torna necessária la concordansa dele altre parole. Esémpio: Ghe vol la s-ciopa e i can par “ndar cassar”. Se el Rè el zé el “sentro” del Palasso, la Assion ( el verbo) la sarà el sentro dea frase. “Ghe vol laorar par pagar la colònia”, i disea i nostri imigranti.


A - Ntel TALIAN gavemo quatro congiugassion: 1ª . Verbi col infinito : ar = Amar.cantar. saltar, zugar, parlar, etc... 2ª . “ “ “  : er = Voler, creder, poder,veder, etc... 3ª : “ “ “  : ir = Partir, sentir, sofrir, patir, etc... 4ª “ “ “  : or = Tor, propor, etc... :

B I VERBI I POL ESSER  : 1º . Regulari : I conserva el stesso radical del Infinitivo in tute le forme dea so congiugassion.: am – de am-ar cant de cant-ar. Etc... 2º . Iregulari : I perde o i scàmbia el radical del Infinitivo. Av-er.( mi go) 3º -Aussiliari – I Aiuta e i fa la semântica dei verbi regulari o iregulari.

C – Quanto a la “ose” gavemo : 1º Ativa La zé la ose direta che fà la assion Ndemo in colonia 2ª Passiva El verbo el riceve la assion Vàrdeme bem. 3ª Reflesiva El verbo el fà e el riceve la assion Mi me copo

D – Modo e Tempi del verbo a)Indicativo Tempo Presente, Imperfeto, Perfeto. Pi-che-Perfeto~Futuro e Condissional. b) Modo Imperativo= Solo el tempo presente. c) Modo Sugiuntivo : Tempo presente, Imperfeto e Futuro d) Infinitivo:Personal e impersonal e) Partissìpio: Tempo Presente e Tempo Passà




PARADIGMA DEA 1ª CONGIUGASSION- CANT-AR MODO INDICATIVO PRESENTE IMPERFET O Mi canto Mi cantea Ti te canti Ti te cantei Lu el canta Lu el cantea Ela la canta Ela la antea Noantri cantemo Noantri canteimo ( canteino) Noantre cantemo Noantre cnteimo ( canteino) Valtri canté Valtri cantei (cntevi) Valtre canté Valtri(cantevi)

Lori i canta                                                            Lori i cantea 
Lorte le canta                                                          Lore lê cntea  


PERFETO` PI-QUE-PERFETO Mi go cantà Mi gávea cantà Ti te gh´è cantà Ti te gavei cantà Lu el ga cantà Lu el gave cantà Ela la ga cnatà Ela la gávea cantà Noantri gavemo cantà Noanti gaveimo cantà ( gaveino ) Noantre gavemo cantá Noantre gaveimo cantà ( gaveino ) Lori i ga cantà Lori i gávea cantà Lore lê ga canta Lore lê gávea cantà


                FUTURO                                                 CONDISSIONAL   

Mi cântaro Mi cantaria Ti te cantarè Ti te cantaressi Lu el cantarà Lu el cantaria Ela la cantarà Ela la cantaria Noantri cantaremo Noantri cantréssimo Noantre cantaremo Noantre cantréssimo Valtri cantaré Valtri cantaressi Valtre cantaré Valtre cantaressi Lori i cantará Lori i caantaria Lore le cantarà Lore le cantaria

IMPERATIVO = Canta ti..! Canté valtri/valtre


MODO SUGIUNTIVO PRESENTE IMPERFETO Mi cantesse Mi gavesse cantà Ti te cantessi Ti te gavessi cantà Lu el cantesse Lu l gavesse cantà Ela la cantesse Ela la gavesse cantà Noantri cantàssimo Noantri gavéssimo cantà Noantre cantàssimo Noantre gavéssimo cantà Lori i cantesse Lori i gavesse cantà.



                                                   ´PARTISSÌPIO PRESENTE      PARTISSÍPIO PASSÀ


Cantar Cantando Cantà Cantar mi Cantar ti INFINITO PERSONAL Cantar lu Cantar Cantar ela Cantar noantri Cantar noantre Cantar vltri Cantar valtre Cantar lori Cantar lore


MODELO DEA SECONDA CONIUGASSION ER(E) VERBO VEDER.

INDICATIVO PRESENTE INDICATIVO IMPERFETO Mi vedo Mi vedea Ti te vedi Ti te vedei Lu el vede Lu el vedea Ela la vede Ela la vedea Noantri/noantre vedemo N oantri/noantre vedeimo (vedeino) Valtri;valtre vedé Valtri/vltre vedei (vedevi) Lori i vede Lori i vedea Lore le vede Lore le vedea.

INDICATIVO PERFETO INDICATIVO PI=CHE-PERFETO

Mi go vedesto (visto) Mi gávea vedesto ( visto ) Ti te gh´è vedesto ( visto) Ti te gavei vedesto (visto) Lu el ga vedesto ( visto) Lu el gávea vedesto ( visto) Ela la ga vedesto (visto) Ela la gávea vedesto ( visto ) Noantri/noantre gavemo vedesto ( visto) Noantri/noantre gaveimo vedesto (visto) Valtri/valtre gavé vedesto ( visto ) Valtri/valtre gavei vedesto )visto ) Lori i ga vedesto (visto Lori i gávea vedesto ( vis5to ) Lore lê ga vedesto ( visto ) Lore lê ga vedesto ( visto)

FUTURO CONDISSIONAL Mi vedarò Mi vedaria Ti te edarè Ti te vedaressi Lu el vedarà Lu el vedaria Ela la vedarà Ela la vedaria Noantri/noantre vedaremo Noantri/noantre vedaréssimo Valtri/valtre vedaré Valtri/valtre vedaressi Lori i vedarà Lori i vedaria Lore lê vedarà Lore le vedaria

IMPERATIVO Vedi ti Vede valtri

MODO SUBGIUNTIVO PRESENTE IMPERFETO Che mi veda Che mi vedesse Che ti te vedi Che ti te vedessi Che lu el veda Che lu el vedesse Che ela la eda Che ela la vedesse Che noantri/noantre vedemo Che noantr/noantre vedéssimo Che valtri/valtre vede ( vedì ) Che valtri/valtre vedessi Che lori i veda Che lori i vedesse Che lore lê veda Che lore el vedesse.

INFINITO PERSONAL INFINITO IMPERSONAL Vedar (veder ) mi Veder Vedar ( veder ) ti Vedar (veder ) Lu/ela PARTISSÌPIO PRESENTE Vedar ( veder ) noantri/noantre Vedendo Vedar ( veder ) lori/lore. PARTISSÌPIO PASSÂ

                                                                                                        Vedesto ( visto )


TERSA CONGIUGASSION = SENTIR MODO INDICATIVO PRESENTE IMPERFETO Mi sento Mi sentia Ti te senti Ti te sentìi Lu el sente Lu el sentia Ela la sente Ela la sentia Noantri/noantre sentimo Noantri/noantre sentìimo Valtri/valtre senti Valtri/valtre sentìi Lori i sente Lori i sentia Lore le sente Lore le sentia

PASSÀ PERFETO PI-CHE-PERFETO Mi go sentio ( sentisto) Mi gávea sentio (sentisto) Ti te gh´è sentio.( sentisto ) Ti te gavei sentisto (sentisto) Lu el ga sentio( sentisto Lu el gave sentio (sentisto) Ela la ga sentio ( sentisto ) Ela la gávea sentio (sentisto) Noantri/noantre gavemo sentio (sentisto) Noantri/noantre gaveimo sentio (sentisto) Valtri/valtre gavé (gavi) sentio ( sentisto) Valtri/valtre gavei sentio (sentisto) Lori i ga sentio ( sentisto ) Lori i gávea sentio ( sentisto) Lor lê ga sentio ( sentisto) Lore lê gavea sentio (sntisto

FUTURO CONDISSIONAL Mi sentirò ( sintirò ) Mi sentiria (sintiria) Ti te sentirè (sintirè) Ti te sentiressi (sintiressi) Lu el sentirà (sintirà) Lu el sentiria (sintiria) Noantri/noantre sentiremo Noantri/noantri sentiréssimo (sintiréssimo) Valtri;valtre sentirè ( sintirè) Valtri/valtre sentiressi )sintiressi) Lori i sentirà )sintirà) Lori i sentiria ( sintiria) Lore lê sentirà (sintirà) Lore lê sentiria (sintiria)


IMPERATIVO Senti ti Senti valtri

SUGIUNTIVO PRESENTE SUGIUNTIVO IMPERFETO Che mi senta ( sinta) Che mi sentisse Che ti te senti ( sinti) Che ti te sentisse Che lu el senta (sinta) Che lu el sentisse Che ela la senta ( sinta) Che ela la sentisse Che noantri/noantre sentimos intimo) Che noantr/noantre sentìssimo Che valtri/valtre sentissi Che valtri/valtre sentissi Che lori i sensta (sinta) Che lori i sentisse Che lore lê senta (sinta) Che lore lê sentisse


INFINITO PERSONAL INFINITO IMPERSONAL Sentir(sintir) mi Sentir (sintir) Senti (sintir) ti Sentir (sintir) lu/ela PARTISSÌPIO PRESENTE Sentir (sintir( noantri/noantre Sentindo (sintindo) Sentir (sintir) valtri/valtre PARTISSIPIO PASSÀ Sentir (sintir) lori/lore Sentio (sintio)


QUARTA CONGIUGASSION = TOR (BUSCA

MODO INICATIVO PRESENTE IMPERFETO Mi togo Mi tolea Ti te toi Ti te tolei Lu el tol Lu el tolea Ela la tol Ela la tolea Noantri/nontre tolemo Noanbri/noantre toleimo Valtri/valtre tolé Valtri/valtre tolei (tolevi) Lori i tol Lori i tolea Lore le tol Lore le tolea.

PERFETO PI-CHE-PERFETO Mi go tolto Mi gávea tolto Ti te gh´è tolto Ti te gavei tolto Lu el ga tolto Lu el gavea tolto Ela la ga tolto Ela la gavea tolto Noantri/noantre gavemo (ghemo) tolto Noantri/noantre gaveimo (gheimo) tolto Valtri/valtre gavi tolto Valti/valtre gavevi tolto Lori i ga tolto Lori i gávea tolto Lore lê ga tolto Lore le gávea tolto

FUTURO CONDISSIONAL Mi tolarò Mi tolaria Ti te tolarè Ti te tolaressi Lu el tolarà Lu el tolaria Ela la tolarà Ela la tolaria Noantr/noantre tolaremo Noantri/nontre tolaréssimo Valtri/valtre tolaré Valtri/valtre tolaressi Lori i tolarà Lori i tolaria Lore lê tolarà Lore lê tolaria

IMPERATIVO Tol ti Tolé valtri/valtre

MODO SUGIUNTIVO PRESENTE IMPERFETO Che mi toga Che mi tolesse Che ti te toghi Che ti tolessi Che lu el toga Che lu el tolesse Che ela la toga Che ela la tolesse Che noantri/noantre tolemo Che noantre/noantre toléssimo Che valtr/valtre tolei Chevaltri/valtre toless Che lori i toga Che lori i tolesse Che lore le toga Che lore le tolesse.


 INFINITO PERSONAL         INFINITO IMPERSONAL

Tor mi Tor Tor ti Tor lu/el PARISSÌPIO PRESENTE Tor nantr/noantre Tolendo Tor valtri/valtre PARTISSÌPIO PASSÀ Tor lori/lore Tolesto (Tolto)

Tor lori/lore


LE RÈGOLE DE ASSENTUASSION LE ZÉ QUESTE: As regras de acentuação são estas:

Prima : Tute le parole proparossìtone le ga assento Ex. làgrima , mónega Primeira: Todas as palavras proparoxítonas têm acento : lágrima , freira Seconda :Le parossìtone no le ga mia assento. Panoce, vecio, giugno, etc.. Segunda : As paroxítonas não têm acento.: Espigas, velho, junho,etc... ( Essession : Parossìtone finide par ditongo cressente le ga assento: bèstia ,orgólio, sèdia, ràbia, comèdia, etc...) Exceção : Paroxítonas terminadas por ditongo crescente levam acento: besta, orgulho, sede, raiva, comedia , etc...) Tersa: Le parole finide par consonante no le ga mai assento: bocal, patir, etc.. Terceira : As palavras terminadas pó consonte não têm acento:urinol, sofrer, etc... Quarta : Tute le ossìtone (tòniche) nò monossilàbiche le ga assento. Ex. café,

autorità, virtù , incó, etc...

Quarta : Todas as oxítonas (tônicas) não monossilábicas levam acento: Ex.: café, autoridade, virtude, hoje, etc.. Quinta : I monossìlabi omógrafichi i obidirà la ierarchia gramatical : Verbo, avèrbio, preposission, congiunsion, artìcolo. con assento. Ex.:

  ( è  =  verbo )  = Marietà  la  è  bela
 ( e = congiunsion ) = Toni  e  Bepi
( là = avèrbio )  ( la = artìcolo  la = nota musical )  
( nò = Avèrbio de negassion )  ( no = congiunsio ) 
 (  trà = verbo ) (  tra = congiunsion) etc...)

Quinta: Os monossílabos homógrafos obedecerão à hierarquia gramatical : Verbo, advérbio, preposição, conjunção com acentuação. Ex.( é = verbo e = conjunção ) ( lá = advérbio la = artigo la = nota musical ) ( não = advérbio de negação nem = conjunção) LÌNGUA TALIAN

MI SON : EL TEMPO..!

Se me perguntassem qual foi a melhor e mais importante ação que realizei em toda a minha vida, prontamente responderia:. A CRIAÇÃO DA APAE DE ERECHIM. Postado por Honório Tonial às 13:37 0 comentários Sexta-feira, 3 de Outubro de 2008 Lìngua Talian LÌNGUA T A L I A N. Honório Tonial

Nascido a 28 de março de l926, portanto há quase um século, passei minha infância na Linha Boa Vista, capela de Nossa Senhora do Caravagio, em Sananduva, município do Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Até aos sete anos de idade só sabia me expressar falando Talian. Hoje me declaro entusiasta desta língua que desejo resgatar, registrar e consolidar. Mas, qual é o conceito de Língua? Segundo Manfroi,(1979: 139) “Língua é o repertório de possibilidades utilizado por uma comunidade lingüística para produzir e interpretar enunciados”. Giraldo(1970 : 14) assim se expressa: “La única entidad autônoma em el plano geolinguistico es la lengua concebida como el instrumento de comunicassion de una comunidad nacional dada, y de ella hay che partir definir lãs demas unidades ( dialéticos,subdialetos, hablas, etc...)” Helena Confortin, (1991: 11 )Uma língua deve ser considerada sob dois aspetos: 1º - Constituir uma unidade lingüística. 2º - Ser uma ramificação territorial da língua comum de um povo. Silva Neto conceitua (1955 : 15-’60: “Cultura é o conjunto de idéias, conhecimentos, técnicas e artefatos, padrões de comportamento e de atitudes que caracterizam um grupo humano. Podemos dizer que a língua é a consciência da etnicidade revelada pelas particularidades lingüísticas que distinguem e caracterizam os diferentes grupos falantes”. Segundo Langanke (1992:24).......” Não há relação inerente entre língua e cultura: nem a língua nem a cultura determinam a forma, uma da outra, No entanto língua e cultura se entrelaçam e a adoção de uma nova língua é freqüente e, geralmente acompanhada da adoção de uma nova cultura e vice-versa.” Os falares regionais, seus traços fonéticos e seus vocábulos próprios identificam um grupo sócio-étnico. “Língua é o instrumento de comunicação segundo o qual, de modo variável de comunidade para comunidade, se analisa a experiência humana em unidades providas de conteúdo semântico e de expressão fônica – os monemas.(unidades da primeira articulação do signo lingüístico) Esta expressão fônica articula-se , por sua vez, em unidades distintas e sucessivas - os fonemas, de número fixo em cada língua e cuja natureza e relação mútuas também diferem de língua para língua.” ( Bunsen, 1969 : 498) Martine ( 1978 ; 2060 ) define língua como “o repertório de possibilidades , utilizado por uma comunidade lingüística , para produzir e interpretar enunciados.Cada membro de comunidade deve conhecer o repertório em jogo que, em princípio, deve ser idêntico ao empregado pelos demais membros da comunidade.”. Heidges simplifica: “A língua é a casa da existência. As fronteiras da minha linguagem são os limites do meu mundo.” Assim o imigrante que não conseguia compreender e assimilar linguisticamente a sua experiência anterior estava “ fora de casa “. Na verdadeira Babel de falares dialetais diferenciados e diante da necessidade de resolver situações inusitadas, instintivamente, iniciou-se a construção e conceituação de uma nova linguagem. Conforme sintetização de San Martin ( 1989:22) “ Não é próprio do ser humano a simples construção e vivenciamento das diversas realidades delimitadas . Ele busca fragmentar o mundo que o rodeia de acordo com seu sistema conceitual. Isto porque a realidade não pode ser captada diretamente. Ela existe somente como soma de percepções . A construção da realidade resulta , portanto, da filtragem realizada pelo ser humano e é específica e privativa de cada grupo. “ Um código padronizado , ou seja, o modelo de falar uma língua relacionado a fatores culturais, sociais e políticos que se comprovam no espaço e no tempo, é caracterizado como língua, pois, exprime e literaliza a cultura de um grupo social , utilizado, outrossim, como língua de mercado” Helena Confortin (96: 12) Conforme Frosi e Mioranza (1975) salientam... “Paulatinamente as comunidades se agrupavam ao redor das capelas, por serem lingüisticamente heterogêneas e começaram a sofrer transformações nos dialetos de origem. Alguns por serem pouco representativos dissolveram-se dentro do grupo e os dialetos afins se interfluenciaram Com o passar do tempo os dialetos não afins fundiram-se formando grupos dialetais.” . Finalmente, um tipo de fusão dialetal, predominando o que fosse numericamente o mais expressivo, acabou impondo-se transformando-se no TALIAN. Massa (1975) comenta que “essa língua comum – que não é nenhum dialeto italiano e nem a soma deles , mas uma língua comum dos dialetos, com empréstimo de vocábulos portugueses – caracteriza-se como um novo idioma neo-latino.’ Caracteriza-se como uma linguagem concreta, existencial,.com grande propriedade para exprimir estados psicológicos, situações sociais e para significar as diversas fases do desenvolvimento sócio-econômico-cultural das comunidades que o falam e escrevem. Muitas tradições e situações da vida, bem como o resgate da saga dos imigrantes só poderão ser corretamente identificados através de palavras e expressões específicas do Talian. - Que dizer dos provérbios inseridos como norma em suas reflexões, tão pródigos e significativos..? Mário Gardelin ( 1967 ) enuncia “ Falado, lido e entendido por, pelo menos alguns milhões de pessoas o Talian é considerado hoje uma língua neo-latina que tem o direito de figurar ao lado das clássicas outras línguas neo-latinas: Italiana, francesa, espanhola e portuguesa.” Na visão de Rovilio Costa ( 1998:126) o Talian “ Todavia é escrito como o português e como é pronunciado.Então não existe problema fonético. Não são necessários novos fonemas, pois, os numerosos falantes e os escritos cada vez mais presentes identificam claramente o Talian aproximando-o e mesclado-o com. o Italiano oficial e o português vg.: porta, casa, mal, etc..., são idênticos nas três línguas”. E, prossegue Rovilio Costa: “ A nossa língua – como muitas outras que não possuem a tutela da oficialidade e do poder,- para sobreviver adapta-se às circunstâncias buscando um consenso, seja no Brasil, seja na Itália e outros locais onde residem descendentes dos imigrantes, excluído o dialeto Toscano erigido em língua oficial italiana.” As línguas regionais da Itália são faladas ainda hoje na sua forma tradicional, porém, sempre pelos idosos embora as novas gerações possam entende-las dada a semelhança vocabular com a língua oficial. Muitas vezes, apenas uma ênclise ou uma próclise diferem dois vocábulos entre si.. Segundo Antônio Martelini (CR 1999) “ Talian é a mais recente língua neolatina que se conhece”. Ser lida e escrita correta e unificadamente no Brasil e ser distinta do italiano oficial é a característica inconfundível da língua Talian A cultura, a culinária, a tradição, os costumes, as festividades, as programações radiofônicas, as peças teatrais, os livros, os artigos em jornais e os “filós” são ações que imprimem a distinção entre o Talian e a língua oficial italiana. Convém ressaltar que especialmente junto aos descendentes dos imigrantes italianos, menos de um por cento deles sabem expressar-se no idioma oficial da Itália. É também verdadeiro que noventa por cento dos alunos dos cursos de língua italiana derivam de lares onde se fala o Talian. o que facilita a aprendizagem. A língua oficial do Brasil é o Português e está em primeiro plano em nossas vidas. Tais fundamentos levaram-nos a requerer o Registro do Talian como Bem Cultural de Natureza Imaterial, previsto no Decreto nº. 3.551, de 04 de agosto de 2.000 da Presidência da República., junto ao IPHAN do Ministério da Cultura. Por tudo isto, louvamos a iniciativa do Ministério da Cultura, através do IPHAN que, com as tratativas da direção e funcionários daquele órgão estão empenhados em oficializar o novo idioma neolatino, cognominado : TALIAN Será mais uma ação relevante das políticas públicas do governo na área da educação e cultura, bem como, com a inclusão na cidadania de um expressivo número de gaúchos e brasileiros. Se “recordar é viver” gostaria de reafirmar que até meus sete anos de idade o Talian era a única língua falada no lar e na comunidade onde vivi a minha infância.


Erechim,26 de setembro de 2008. Honório Tonial Fundador da Associação dos Apresentadores de Programas de Rádio Talian do Brasil -ASSAPRORATABRAS- Postado por Honório Tonial às 11:52 0 comentários Segunda-feira, 29 de Setembro de 2008 DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM.

Ser professor é vencer limites e desafios, é reformular paradigmas, aguçar o olhar,vislumbrar o horizonte em busca de discernimento permanente. Dificuldades na aprendizagem são constantes , no entanto , constata-las e solucioná-las , questão crucial. Retardamento, transtornos ( neuropsicológicos, psicomotores e sensoriais , cognitivos , condutuais, ... ) ou lento desenvolvimento implicando na compreensão. Interpretação, ou uso da linguagem falada e escrita, como condição incapacitante para ler, escrever, soletrar, pronunciar ou realizar cálculos matemáticos , são comuns em sala de aula. Cada condição, dependendo do grau de severidade, poderá afetar a auto-estima, a educação, a socialização, a vocação, entre outros aspetos da vida do aprendente. Apontam-se várias causas como responsáveis pelas dificuldades escolares, índices elevados de evasão e a deprimente e excludente reprovação escolar. Entre tantas, ressalta-se a falta de estímulos adequados nos pré-requisitos necessários à aprendizagem, métodos de ensino inadequados, problemas emocionais, falta de maturidade, ansiedade de absorver os conhecimentos, falta de maturidade para inciar o processo e dislexia. Destaque-se, também, o aspecto carencial da população, as diferenças culturais e/ou sociais, currículo, programas. Sistemas de avaliação, relação professor-aluno, deficiência mental e déficit auditivo ou visual. A identificação e diagnóstico precoce , a cada distúrbio de aprendizagem, são fundamentais para a superação dos mesmos. É mister lembrar que a aquisição da leitura e da escrita envolve vários sistemas e habilidades – lingüísticas, perceptuais, motoras e cognitivas - merecem atenção especial por ser um processo evolutivo e gradativo. Outras dificuldades são freqüentes na expressão oral, escrita e matemática. A disfemia – distúrbio da fala, também conhecido como gagueira; a dislalia – transtorno na articulação dos fonemas por alterações funcionais dos órgãos periféricos da fala; a dislexia – problema de aprendizagem da leitura e da escrita; a disgrafia – escrita defeituosa , incorreta ao padrão gramatical; distúrbios de formulação e sintaxe – erros da grafia em vocábulos, ordem imprópria no contexto e ausência de pontuação adequada. O ser humano é complexo, todavia detém capacidades para aprender e, quando essa aprendizagem ocorre com deficiências ( lacunas ) é porque há alo interferindo no processo. Nesse caso, professores e demais profissionais das diferentes áreas precisam atuar em consonância , identificando os fatores implícitos decorrentes a cada problema diagnosticado e, posteriormente, encaminhar par ser trabalhado adequadamente , evitando com isso somatizar dificuldades nas séries subseqüentes. O desafio estás na inclusão,do educando no meio ao qual está inserido , oportunizando um ensino-apendizagem diferenciado, complementar, eficaz e de qualidade desenvolvendo todas as habilidades , propiciando sua participação na sociedade numa contínua interação com os outros. “A mente concebe, assimila e projeta; a palavra exalta, comanda e executa” Apud R.O.Dantas, em Otimismo em Gotas . Edições, Otimistas, São Paulo. Postado por Honório Tonial às 12:51 1 comentários DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM. Postado por Honório Tonial às 12:50 0 comentários LINUA TALIAN LÌNGUA T A L I A N. Honório Tonial

Nascido a 28 de março de l926, portanto há quase um século, passei minha infância na Linha Boa Vista, capela de Nossa Senhora do Caravagio, em Sananduva, município do Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Até aos sete anos de idade só sabia me expressar falando Talian. Hoje me declaro entusiasta desta língua que desejo resgatar, registrar e consolidar. Mas, qual é o conceito de Língua? Segundo Manfroi,(1979: 139) “Língua é o repertório de possibilidades utilizado por uma comunidade lingüística para produzir e interpretar enunciados”. Giraldo(1970 : 14) assim se expressa: “La única entidad autônoma em el plano geolinguistico es la lengua concebida como el instrumento de comunicassion de una comunidad nacional dada, y de ella hay che partir definir lãs demas unidades ( dialéticos,subdialetos, hablas, etc...)” Helena Confortin, (1991: 11 )Uma língua deve ser considerada sob dois aspetos: 1º - Constituir uma unidade lingüística. 2º - Ser uma ramificação territorial da língua comum de um povo. Silva Neto conceitua (1955 : 15-’60: “Cultura é o conjunto de idéias, conhecimentos, técnicas e artefatos, padrões de comportamento e de atitudes que caracterizam um grupo humano. Podemos dizer que a língua é a consciência da etnicidade revelada pelas particularidades lingüísticas que distinguem e caracterizam os diferentes grupos falantes”. Segundo Langanke (1992:24).......” Não há relação inerente entre língua e cultura: nem a língua nem a cultura determinam a forma, uma da outra, No entanto língua e cultura se entrelaçam e a adoção de uma nova língua é freqüente e, geralmente acompanhada da adoção de uma nova cultura e vice-versa.” Os falares regionais, seus traços fonéticos e seus vocábulos próprios identificam um grupo sócio-étnico. “Língua é o instrumento de comunicação segundo o qual, de modo variável de comunidade para comunidade, se analisa a experiência humana em unidades providas de conteúdo semântico e de expressão fônica – os monemas.(unidades da primeira articulação do signo lingüístico) Esta expressão fônica articula-se , por sua vez, em unidades distintas e sucessivas - os fonemas, de número fixo em cada língua e cuja natureza e relação mútuas também diferem de língua para língua.” ( Bunsen, 1969 : 498) Martine ( 1978 ; 2060 ) define língua como “o repertório de possibilidades , utilizado por uma comunidade lingüística , para produzir e interpretar enunciados.Cada membro de comunidade deve conhecer o repertório em jogo que, em princípio, deve ser idêntico ao empregado pelos demais membros da comunidade.”. Heidges simplifica: “A língua é a casa da existência. As fronteiras da minha linguagem são os limites do meu mundo.” Assim o imigrante que não conseguia compreender e assimilar linguisticamente a sua experiência anterior estava “ fora de casa “. Na verdadeira Babel de falares dialetais diferenciados e diante da necessidade de resolver situações inusitadas, instintivamente, iniciou-se a construção e conceituação de uma nova linguagem. Conforme sintetização de San Martin ( 1989:22) “ Não é próprio do ser humano a simples construção e vivenciamento das diversas realidades delimitadas . Ele busca fragmentar o mundo que o rodeia de acordo com seu sistema conceitual. Isto porque a realidade não pode ser captada diretamente. Ela existe somente como soma de percepções . A construção da realidade resulta , portanto, da filtragem realizada pelo ser humano e é específica e privativa de cada grupo. “ Um código padronizado , ou seja, o modelo de falar uma língua relacionado a fatores culturais, sociais e políticos que se comprovam no espaço e no tempo, é caracterizado como língua, pois, exprime e literaliza a cultura de um grupo social , utilizado, outrossim, como língua de mercado” Helena Confortin (96: 12) Conforme Frosi e Mioranza (1975) salientam... “Paulatinamente as comunidades se agrupavam ao redor das capelas, por serem lingüisticamente heterogêneas e começaram a sofrer transformações nos dialetos de origem. Alguns por serem pouco representativos dissolveram-se dentro do grupo e os dialetos afins se interfluenciaram Com o passar do tempo os dialetos não afins fundiram-se formando grupos dialetais.” . Finalmente, um tipo de fusão dialetal, predominando o que fosse numericamente o mais expressivo, acabou impondo-se transformando-se no TALIAN. Massa (1975) comenta que “essa língua comum – que não é nenhum dialeto italiano e nem a soma deles , mas uma língua comum dos dialetos, com empréstimo de vocábulos portugueses – caracteriza-se como um novo idioma neo-latino.’ Caracteriza-se como uma linguagem concreta, existencial,.com grande propriedade para exprimir estados psicológicos, situações sociais e para significar as diversas fases do desenvolvimento sócio-econômico-cultural das comunidades que o falam e escrevem. Muitas tradições e situações da vida, bem como o resgate da saga dos imigrantes só poderão ser corretamente identificados através de palavras e expressões específicas do Talian. - Que dizer dos provérbios inseridos como norma em suas reflexões, tão pródigos e significativos..? Mário Gardelin ( 1967 ) enuncia “ Falado, lido e entendido por, pelo menos alguns milhões de pessoas o Talian é considerado hoje uma língua neo-latina que tem o direito de figurar ao lado das clássicas outras línguas neo-latinas: Italiana, francesa, espanhola e portuguesa.” Na visão de Rovilio Costa ( 1998:126) o Talian “ Todavia é escrito como o português e como é pronunciado.Então não existe problema fonético. Não são necessários novos fonemas, pois, os numerosos falantes e os escritos cada vez mais presentes identificam claramente o Talian aproximando-o e mesclado-o com. o Italiano oficial e o português vg.: porta, casa, mal, etc..., são idênticos nas três línguas”. E, prossegue Rovilio Costa: “ A nossa língua – como muitas outras que não possuem a tutela da oficialidade e do poder,- para sobreviver adapta-se às circunstâncias buscando um consenso, seja no Brasil, seja na Itália e outros locais onde residem descendentes dos imigrantes, excluído o dialeto Toscano erigido em língua oficial italiana.” As línguas regionais da Itália são faladas ainda hoje na sua forma tradicional, porém, sempre pelos idosos embora as novas gerações possam entende-las dada a semelhança vocabular com a língua oficial. Muitas vezes, apenas uma ênclise ou uma próclise diferem dois vocábulos entre si.. Segundo Antônio Martelini (CR 1999) “ Talian é a mais recente língua neolatina que se conhece”. Ser lida e escrita correta e unificadamente no Brasil e ser distinta do italiano oficial é a característica inconfundível da língua Talian A cultura, a culinária, a tradição, os costumes, as festividades, as programações radiofônicas, as peças teatrais, os livros, os artigos em jornais e os “filós” são ações que imprimem a distinção entre o Talian e a língua oficial italiana. Convém ressaltar que especialmente junto aos descendentes dos imigrantes italianos, menos de um por cento deles sabem expressar-se no idioma oficial da Itália. É também verdadeiro que noventa por cento dos alunos dos cursos de língua italiana derivam de lares onde se fala o Talian. o que facilita a aprendizagem. A língua oficial do Brasil é o Português e está em primeiro plano em nossas vidas. Tais fundamentos levaram-nos a requerer o Registro do Talian como Bem Cultural de Natureza Imaterial, previsto no Decreto nº. 3.551, de 04 de agosto de 2.000 da Presidência da República., junto ao IPHAN do Ministério da Cultura. Por tudo isto, louvamos a iniciativa do Ministério da Cultura, através do IPHAN que, com as tratativas da direção e funcionários daquele órgão estão empenhados em oficializar o novo idioma neolatino, cognominado : TALIAN Será mais uma ação relevante das políticas públicas do governo na área da educação e cultura, bem como, com a inclusão na cidadania de um expressivo número de gaúchos e brasileiros. Se “recordar é viver” gostaria de reafirmar que até meus sete anos de idade o Talian era a única língua falada no lar e na comunidade onde vivi a minha infância.


Erechim,26 de setembro de 2008. Honório Tonial Fundador da Associação dos Apresentadores de Programas de Rádio Talian do Brasil -ASSAPRORATABRAS- Postado por Honório Tonial às 12:21 0 comentários Segunda-feira, 22 de Setembro de 2008 Honório Tonial


a) INTRODUSSION : Ntea seconda metà del sècolo XX gavemo scominsià un movimento literàrio con la finalità de construire na Nova Lìngua che, dopo de tante proposission, discussion, stùdio e argomenti la ga ricevesto la denominassion de :TALIAN.Sto novo idioma l'è parlà in diversi munissìpii del Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paranà, San Paulo, Spìrito Santo e par tute le parte del mondo onde podemo catar descendenti dei imigranti vignisti dal norte de Itália, oriundi, spessialmente del Véneto, Lombardia, Friulli-Venezia -Giulia e Trentino Alto Adige Postado por Honório Tonial às 14:05 0 comentários Postagens mais antigas Assinar: Postagens (Atom) Arquivo do blog

Com questi strumenti gavaréssimo caro che i deventesse un punto de risserca dei studiante del nostro bel Talian. El nostro propósito el saria no far gnanca um sbàlio, ma, semo umani e se sbaliemo, perdoneme. Ringràssio a tuti quei che studia el nostro Talian. Erechim 24 de otobre de 2008 Honório Tonial (201.15.141.66 13h03min de 25 de outubro de 2008 (UTC))Responder