Wikcionário Discussão:Livro de estilo/2009-2010

Origem: Wikcionário, o dicionário livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Novo livro de estilo[editar]

Vamos começar a discutir o livro aqui? Vai evitar sobrecarga da Esplanada. Não sei como iniciar votação, e nem sei se já devemos fazê-la. Se for o caso, alguém com mais experiência se manifeste, por favor. Simon Delabie blá-blá-blá 00h46min de 12 de novembro de 2009 (UTC)

Bem, não li até o fim ainda mas tem várias coisas que eu já discordo.
  1. Não acho que precisamos ser tão duros afirmando que quem desrespeitar será punido. Isso passa medo e desencoraja. Acho que devemos apenas afirmar que se trata de uma política oficial.
  2. Nome do verbete: acho que essa seção não devia ser incluida ou deveria apenas notificar que possuimos critérios de inclusão
  3. Não gostei da piadinha com o Chuck :-p, acho que é uma página séria e deveria ser retirado.
  4. Muito importante: As predefinições de cabeçalho que não estão entre símbolo de igual ( = ) não são editáveis e estão sendo substituídas, então não devem ser citadas. E, é melhor e mais fácil para um iniciante compreender se colocamos =Português= ao invés de {{pt}}. Além disso, alguns editores, como o Valdir, não gostam e não utilizam as predefinições para os nomes de idioma (como Português).
  5. A predefinição {{-etimologia-}} não é editável e será substituída em breve.
Bem, já posso fazer essas modificações ou alguém tem algo contra?? Do geral, achei que a introdução ficou mesmo muiuto dura e é a parte que mais precisa de mudanças. Podemos indicar que a página trata de políticas oficiais sem ameaçarmos que lê, não é? --Jesiel通信 00h59min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Pode sim, claro, a ideia não foi ser dura nem nada embora tenha parecido. E o humor da piadinha com o Chuck foi sutil, mas pode retirar também. Simon Delabie blá-blá-blá 01h03min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Vou deixar a mudança da "dureza" para outros, caso discordem disso também. Uma coisa que eu gostei do livro de estilos é que ficou claro e auto explicativo, assim é muito mais fácil de guiarmos os novatos. --Jesiel通信 01h14min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Olá gente!
Retirei pura e simplesmente as duas partes "ofensivas" (sobre a punição e sobre o Chuck). Acho que fica bem assim... Mas claro, se alguém quiser elaborar mais, que o faça.
--Valdir Jorge  fala!
Liberdade sim, anarquia não! 01h21min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Gostei das alterações. Só ainda não entendi o porquê das predefinições de idioma não poderem ser editáveis. Acho mais simples colocar {{-pt-}} que =Português=. Simon Delabie blá-blá-blá 01h27min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Essas podem ser editadas. É que temos desavenças quanto a essas predefinições. Por exemplo: só editores mais avançados sabem que {{-pt-}}/{{pt}} é português, que {{-de-}}/{{de}} é alemão e assim por diante. Assim, é muito melhor indicarmos o que é seguro de início =Nome do idioma=. Mas, Delabie, repare que a maioria dos verbetes usam essas predefinições, então, um novato logo ira percebê-las, e se gostasse, iria começar a usá-las. --Jesiel通信 01h30min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Não entendi porque não acostumar o novo editor desde o início. Se vocês acham mais didático, por mim tudo bem. Mas vale lembrar que vai valer o que estiver no livro de estilo. Se for pra usar {{-pt-}} ou =Português=, precisamos liberar os dois pra uso, e não contemplar apenas um só. Visto suas modificações, tem uma parte do item cabeçalho que ficou sem sentido. Dá uma olhada lá. Simon Delabie blá-blá-blá 01h34min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Não, minha intenção não era proibir ou coibir o uso dessas predefinições, era apenas mostrar a face mais simples primeiro. Se for o caso, é só adicionar ao texto que as predefinição são tão aceitas quanto as palavras "por extenso". Eu mesmo acabei de acrescentar um pequeno texto assim à seção cabeçalho. Se você achar necessário, adicione mais notas sobre essas predefinições no corpo do texto. --Jesiel通信 01h45min de 12 de novembro de 2009 (UTC)

Acho que as mudanças foram interessantes. Parabéns, rapazes, pelo trabalho! Valdir, quando se inicia a votação? -- Isaac Mansur Correio 08h58min de 12 de novembro de 2009 (UTC)

Ué, mas não depende de mim... Se quiserem eu crio a votação, mas não sei se já estamos prontos para tal. Se acharem que sim, digam-me e eu crio a página.
Simon, quanto a como criar uma votação, há umas regrinhas a seguir. Não são difíceis, qualquer um pode criar uma votação, não são só os administradores que têm direito a isso.
--Valdir Jorge  fala!
Liberdade sim, anarquia não! 09h18min de 12 de novembro de 2009 (UTC)

Em geral, acho tudo certo excepto o seguinte: não se fala dos níveis de cabeçalhos e/ou tenho dúvidas quanto aos exemplos apresentados. Por exemplo, é apresentado um exemplo de Substantivo com nível 2 e a Etimologia também está ao nível 2. Quer isto dizer que a etimologia não poderá depender de estarmos a falar do Substantivo ou eventualmente de um Verbo com a mesma grafia? Julgo que podem ter etimologias diferentes, como previsto para as traduções (e outros). Talvez devessem estar num cabeçalho nível 3 (dentro do Substantivo/classe gramatical correspondente).

Há ainda o caso, que já vi por aí, de se dividir em 2 substantivos: julgo que isto se passa quando 2 palavras têm a mesma grafia mas são totalmente desrelacionadas, em pronúncia, etimologia, etc.. Este caso também não está mencionado como vai ser tratado.

Só para vos pôr a pensar. :) Malafaya 10h46min de 12 de novembro de 2009 (UTC)

É falado sim, em Tópicos, e lá tem o seguinte texto:
Cada posição do ponto representa um nível de seção a ser usado.
A explicação da teoria dos possíveis níveis de seção, a meu ver, deve estar no tutorial de edição. E quanto a seu outro questionamento, eu não me lembro de nenhuma palavra que tenha duas etimologias diferentes (mas podem existir, claro). Existe um texto na Nota em Tópicos que diz:
Dependendo do número de significados possíveis, pode ser viável utilizar subtópicos para alguns itens.
Isso poderia dar margens a uma interpretação nesse sentido, usando etimologia do substantivo, etimologia do verbo, etc. Eu só acho, Malafaya, que esses casos são bem raros. Você poderia nos dar um exemplo irrefutável disso? Simon Delabie blá-blá-blá 11h08min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Bem, assim de repente, lembro-me de para, que poderá ser a preposição ou, de acordo com o AO1990, poderá ser forma verbal, e tenho a certeza de que terão etimologias diferentes. Vou procurar um exemplo mais flagrante. Malafaya 11h12min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Vejam os verbetes listados nesta página.
--Valdir Jorge  fala!
Liberdade sim, anarquia não! 11h28min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Valeu, Valdir. Não gosto nada do que foi feito em "derrama" :(. Malafaya 11h39min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Neste caso, a divisão entre 2 substantivos deve-se com certeza à diferente etimologia, senão poderiam ter ficado fundidos num só. Malafaya 11h40min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
(Conflito de edições =)) Você tem razão Malafaya. Com a ajuda do Valdir, encontrei terno e achei que ficou bom. Colocar muitas predefinições de etimologia (com a figurinha) poderia não ficar legal, dispersando o leitor; essa é minha opinião. O verbete derrama, por mim, mesmo com sentidos bem diferentes, teria a parte de substantivo unida. Afinal, a listagem de definições é pra expor todos seus sentidos possíveis. Quero ver o que o pessoal acha também. Simon Delabie blá-blá-blá 11h44min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Por uma questão de consistência, a minha proposta é a seguinte:
  • mudança da Etimologia para cabeçalho nível 3: se as traduções, sinónimos, etc. estão a nível 3, porque deverá estar a Etimologia ao nível do idioma? No caso de adjectivos e substantivos, numa grande parte dos casos, as traduções também são iguais, sinónimos idem. A Etimologia não me parece diferente nesse aspecto.
  • fusão dos Substantivos 1 e 2: podemos adequar na Etimologia (nível 3) a que significados diz respeito uma etimologia ou outra, tal como já se faz para Traduções e Sinónimos.
Aguardo também as opiniões de outros colegas. Malafaya 12h00min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Pessoal, é claro que o livro de estilo não vai contemplar todo o estilo. É melhor deixar só as coisas mais básicas, como "categorias no fim" "substantivo/adjetivo/et antes de pronúncia etimologia". É claro que em science, coito e tato (existem muito mais outras) é melhor dividir em Sumbstantivo¹ / Substantivo² e cada uma dessas classificações terá uma etimologia diferente que será mais útil colocar em nível 3 do que juntar as etimologias todas em uma só (como apresentado pelo Valdir). Se formos nos apegar a certos pontos essa página do livro de estilo ficará gigantesca. Acho por bem apenas citar que o cabeçalho de etimologia poderá ter variações de nível dependendo da utilização ou da intenção do editor. --Jesiel通信 15h15min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Vejam por exemplo nomenclatura, é um ótimo exemplo. --Jesiel通信 15h17min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
O Simon convidou-me a dar minha opinião aqui.Portanto, lá vai. Tenho apenas dois comentários:
(1) Conforme os demais wikicionários, devemos deixar claro que as regras não são obrigatórias. Seremos o único projeto a ter regras de estilo obrigatórias, pelamordedeus! Será que os povos anglófonos, francófonos, e demais, têm uma cultura tão mais evoluída que eles podem dispensar a obrigatoriedade e nós, lusófonos, não?
(2) Apliquem o livro de estilo ao próprio livro de estilo, por favor. Sejamos concisos, objetivos, sem minúcias excessivas, se não ninguém vai nem ler esse calhamaço. Um abraço a todos. EusBarbosa - "Por um Wikcionário LIVRE!" 22h47min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Eu acho que:
(1) As regras devem ser insistidas. Não sei o que significa "obrigatório" no mundo wiki já que isso não se consegue. O que penso é que se alguém teimar em não seguir o livro de estilo após vários apelos em muito tempo, essa pessoa deve ser "desacreditada". Malafaya 23h09min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Sugiro que se indique que apenas os 3 primeiros tópicos serão "obrigatórios". Da forma que as coisas são apresentadas, dá a entender que um verbete terá que incluir de uma só vez toda aquela informação. Malafaya 23h19min de 12 de novembro de 2009 (UTC)
Eusbarbosa,
Citação: Você escreveu: «Apliquem o livro de estilo ao próprio livro de estilo, por favor.»
Isso não faz muito sentido. Pelo próprio livro, isso só vale para verbetes válidos, e contraria os critérios de inclusão. Além disso, como página informativa (e não um verbete de dicionário), ele deve conter tantos detalhes quanto possível, desde que isso não comprometa a informação. Até agora ele tá bem compacto e fácil de ler (na minha opinião). Na minha opinião o termo obrigatório é somente enfático. Se depender de mim, não haverão sanções àqueles que fugirem da norma por descuido. Mas e se houver um usuário como o Alakran, criando contribuições repetidamente fora do livro de estilo? (veja aqui; procure as últimas edições que verá do que falo) Abraços, Simon Delabie blá-blá-blá 00h24min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Curioso você falar do "Alakran" que foi bloqueado indefinidamente, mas não propriamente por não ter seguido o estilo apropriado :). Malafaya 00h30min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Na verdade eu nem sei porque ele foi bloqueado. Mas que achei estranho os verbetes dele, isso achei sim. Estava com a ideia de recicla-los. Ainda estão meio atrapalhados.
Outra coisa: Eu mesmo escrevi: Mas e se houver um usuário como o Alakran, criando contribuições repetidamente fora do livro de estilo? Não falei no sentido de devemos bloquear pessoas que editam mal (embora tenha parecido, até pra mim agora), mas é um questionamento sobre que postura adotar. Falar até enjoar e desacreditar dele na comunidade? Simon Delabie blá-blá-blá 00h40min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Pessoal, vamos focar um pouco: o que queremos é um Livro de Estilo mais forte, com uma redação mais simples e sem muitas interpretações (sabe como é a Constituição Brasileira? Pois é, queremos um Livro de Estilo sem muitas leituras) para que possamos trabalhar em paz. Ninguém quer bloquear usuários, excomungar IPs e assim por diante, queremos apenas um pouco de ordem. Se formos pensar em todas as miudezas do Livro de Estilo, nunca vamos sair disso. Para mim, o cabeçalho tinha de ser modificado, mas deu-se início a uma mudança no Livro inteiro. -- Isaac Mansur Correio 00h48min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Isaac, concordo com você no que se refere à concisão necessária. E, se ninguém quer bloquear, excomungar, cortar a cabeça,por quê criar essas punições (após 10 avisos, 3 avisos, etc)? EusBarbosa - "Por um Wikcionário LIVRE!" 00h24min de 14 de novembro de 2009 (UTC)

Proponho que a introdução fique assim:
Este Livro de Estilo representa a política aprovada pela comunidade para a forma uniformizada que devem assumir todos os artigos do domínio principal do Wikcionário. Por isso sua leitura é altamente recomendada.
A aplicação a todos os artigos do Wikcionário das regras aqui propostas foi definido pela comunidade como um objetivo a atingir. Para o conseguir, muito trabalho poderá ser evitado se todos nos esforçarmos por as aplicar.
Muitos artigos podem ainda estar diferentes do que aqui é recomendado, mas irão sendo uniformizados conforme a disponibilidade dos editores. Se não puder ou não quiser colaborar, pelo menos não crie dificuldades a essa uniformização.
Como todas as regras, qualquer proposta para a sua modificação deve ser alvo de discussão na Esplanada ou nesta página de discussão e a sua alteração está sujeita a votação idêntica à que as instituiu.
A comunidade está ciente de que a informação é mais importante que sua organização, mas o Wikcionário não é e não deve ser um agregado de páginas informativas onde o caos predomine. A organização é importante para que todos os leitores possam facilmente encontrar a definição de um verbete e editá-lo, se quiserem. E é também importante para a imagem com que ficam os que nos visitam.
Por ora não tenho mais tempo, mas voltarei aqui brevemente. – Cadum 00h55min de 13 de novembro de 2009 (UTC)

Gente, se NÃO tornarmos as regra UM MÍNIMO QUE SEJA obrigatórias, o problema vai se estender. Vão surgir usuários do passado e do 'futuro' que vão virar as costas para o que está escrito aqui. Ou seja, sem a obrigatoriedade fica o que está agora como estava antes, nada se muda. --Jesiel通信 00h59min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Acho que a ideia do Cadum foi bem válida: não fala de obrigatoriedade nem o contrário. Fica a critério de cada um a interpretação. A mim agradou, provavelmente agradará ao Eustáquio, e talvez a mais alguns. Simon Delabie blá-blá-blá 01h04min de 13 de novembro de 2009 (UTC)

== Punições ==

Bem, eu acho o seguinte, deveriamos criar uma regra do tipo '10 avisos', isto é, a gente insistiria 10 vezes para o usuário se adequar ao estilo. Havendo interesse do usuário em aprender e se ele errar apenas por ainda não estar familiarizado, tudo bem, nós o ajudaremos. Agora, há usuários que realmente vêm para trazer o caus. São pessoas egoístas que acham que devem fazer o que bem entendem, como bem entendem e que o trabalho dos outros vá para os quintos. Nesse caso, se após conversarmos com o usuário ele insistir em fazer do modo dele, bloqueamos (primeiro por uma semanda, depois 1 mês, sucessivamente). O Eus. afirma que nenhuma Wiki faz isso, grande engano. Vou me basear no que EU conheço bem, ou seja a Wikipédia. Na Wikipédia lusófona já bloquearam um usuário por, insistidamente, escrever textos sem acentos, mal formatados. Ou seja, para as pessoas dígnas de serem chamadas de "espírito de porco" o bloqueio é válido para mantermos um projeto bem feito e uniforme, como todos os outros. Os que são contrários, me apresentem um grande projeto Wiki no qual as páginas seguem vários estilos, dependendo da vontade do usuário. --Jesiel通信 00h56min de 13 de novembro de 2009 (UTC)

Jesiel,
Citação: Isaac escreveu: «Pessoal, vamos focar um pouco: o que queremos é um Livro de Estilo mais forte, ...»
Concordo com ele. Assim, acho que essa discussão deve ser feita na página de discussão de Políticas do Wikcionário, e pode ser feita após a conclusão desses trabalhos. Lá que devem estar centralizadas todas as discussões nesse sentido, a meu ver. Simon Delabie blá-blá-blá 01h02min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Como disse acima, se as regras não forem um mínimo obrigatória esse trabalho todo terá utilidade zero. Abordar usuários e pedir para eles seguirem o livro nós já faziamos. E renegar o livro e dizer-nos "camaradinha qual o teu problema?" é o que eles continuarão a fazer. --Jesiel通信 01h04min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Eu não acho que você esteja errado, pelo contrário. Gosto da idéia dos 10 avisos, mas acho que essa discussão deverá ser feita na parte de políticas, já que essa informação não entrará no livro de estilo. Qual o seu problema? foi demais mesmo. Simon Delabie blá-blá-blá 01h07min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Discordo de discutir isso em "políticas". Ora!, estamos para aprovar com esse livro uma 'política oficial do Wikcionário'. Não precisa ter políticas separadas. Mas, já sei! Vamos fazer o que fazem na Wikipédia, colocar em votação o projeto e a forma de ser aplicada o projeto. Assim se encerram essas discussões quilométricas.
Se alguém tiver mais alguma ideia de punição para ser colocada na votação, ponha a sua ideia aqui. --Jesiel通信 01h13min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Jesiel, os vandalismos serão punidos de qualquer forma, depois do primeiro aviso, se preferir. Mas, por favor, vamos fazer o Livro de Estilo primeiro, caso contrário, essa discussão vai levar vários anos, e nunca votaremos o novo Livro de Estilo. -- Isaac Mansur Correio 01h17min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Jesiel, você não pode impor a ninguém que "aprenda" ao ritmo que você achar que ele deve aprender... Se você avisa um editor (com diplomacia, sem os atritos que você por vezes gera, desculpe a franqueza...) 3 vezes e ele não aceita ou não passa a fazer bem, desde que não possa ser considerado vandalismo as edições que esse alguém faz você só tem que escolher: ou começa a corrigir tudo o que ele edita ou começa a ignorar tudo o que ele faz.
Não é justo penalizar alguém apenas por nos irritar que esse alguém não queira ouvir-nos. Penso que se corrigirmos sistematicamente alguém, sem atritos, ele ou aprende ou vai embora.
Um abraço, não fique zangado comigo, o.k.? – Cadum 01h22min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Eu pensava assim até conhecer o Fredmaranhao. Já corrigi inúmeros artigos dele e ele, até hoje, não se comoveu nada. --Jesiel通信 01h24min de 13 de novembro de 2009 (UTC)


Entenderam?? Não estou prolongando, só quero saber se há mais propostas para ser colocadas à votação. --Jesiel通信 01h23min de 13 de novembro de 2009 (UTC)

Sim, há mais propostas. A minha é que copiemos a introdução do livro de estilo do Wikicionário em inglês {) obviamente traduzida para o português, mais ou menos assim (se quiserem melhorem por favor): While the information below may represent some kind of "standard" form, it is not a set of rigid rules. You may experiment with deviations, but other editors may find those deviations unacceptable, and revert those changes. They have just as much right to do that as you have to make them.
As informações abaixo representam o padrão que adotamos para o Wikicionário em português. Não é um conjunto de normas rígidas. Você pode introduzir desvios, mas outros editores podem considerar esses desvios inaceitáveis e revertê-los. Eles tem tanto direito de o fazer, quanto você de editar fora do padrão EusBarbosa - "Por um Wikcionário LIVRE!" 19h11min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Eu já havia entendido isso. Entretanto, ainda acho que o lugar mais indicado pra essas discussões ainda é na página de discussão de Políticas do Wikcionário. Esvaziei a página e ela está disposta (garanto que está) a receber indicações sobre esse assunto. Simon Delabie blá-blá-blá 01h31min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Era pro Isaac, mais especificamente, quem eu estava mostrando a votação. E, bem, eu já disse ali em cima, estamos propondo uma política oficial, não precisamos dividir em uma política ser discutida aqui e outra parte lá. Bem, encerrando, eu vou colocar a votação assim, porque as duas coisas estão altamente interligadas. Acho que ninguém discorda, pois se discordar é só votar na parte em que diz que o livro não é obrigatório. --Jesiel通信 01h36min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Se for pra colocar nesse sentido, coloque uma proposta: concordo com punição, mas com termos diferentes. Daí poderemos discutir os termos. Simon Delabie blá-blá-blá 01h38min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Eustáquio, não leste a proposta que fiz no tópico acima, pois não? Com todo o gosto integraria o parágrafo que transcreveste. – Cadum 19h40min de 13 de novembro de 2009 (UTC)
Cadum, li, sim , sua proposta e concordo com ela. O parágrafo que criei seria um complemento, uma vez que em sua proposta não está claro que o editor terá a liberdade de optar por seguir ou não o livro de estilo (embora altamente recomendado que o faça).EusBarbosa - "Por um Wikcionário LIVRE!" 00h17min de 14 de novembro de 2009 (UTC)

== Votação ==

Pessoal, abri a votação Wikcionário:Votações/Livro de estilo. Se discordarem de algo não votem e comentem aqui. Caso esteja certo, votem. --Jesiel通信 02h04min de 14 de novembro de 2009 (UTC)

Sei que cheguei tarde à discussão, mas todo o mundo quererá passar já à votação ou é apenas o Jesiel, impulsivo e apressado, que quer resolver de imediato?
Na minha terra diz-se: Cadela apressada pare cachorros cegos....
Acho que a proposta de Livro de Estilo precisa de ser burilada:
  • Tem parágrafos escritos de forma pouco clara – precisamos que todo o mundo entenda logo à primeira, não é mesmo?
  • Aponta para exemplos que não são os melhores – até porque contêm opções contraditórias ou não mencionadas no Livro de Estilo que estamos a recomendar.
  • E, acima de tudo isso, onde está a resposta, a decisão, sobre os pontos que vários editores questionaram aí atrás? Predefinições – sim ou não? Que nível para o subtítulo etimologia – dois ou três?
  • E a discussão sobre secções ora existentes como o camonismo? E vamos manter, incentivar ou desincentivar aquelas enormes listas de palavras derivadas e por vezes apenas levemente aparentadas? E mantemos secções com fundos de cor? E gostamos todos de ver esses fundos dividindo de forma desigual o espaço? E verbetes com quadros de flexões escusadamente repetidos? E os (para mim horrorosos e desnecessários) quadros dos graus de adjectivos? E os próprios subtítulos de graus abaixo do dois – negríssimos, grandes demais? E o pouco espaço entre os títulos, que leva a que muitos editores deixem uma linha em branco – tornando então o espaço exagerado? E... tanta coisa que pode ficar esclarecida se tivermos a calma suficiente?
Partindo já para a votação estamos varrendo o lixo para debaixo do tapete – mas a casa não ficará limpa.
Defendo que vamos passo a passo, construindo consensos ou aproximando-nos o mais que for possível – quando muito deixar apenas duas propostas alternativas para cada discordância e fixar as concordâncias.
Eu próprio iniciei acima o método de propor soluções bloco a bloco. Sei que demorará mais tempo, mas suspeito que ganharemos em clareza, em concisão e em precisão.
Que acham vocês? – Cadum 03h18min de 14 de novembro de 2009 (UTC)
Nossa... passei um mês fora e pelo visto perdi muita coisa! Apesar de ter entrado na discussão só agora, digo que concordo com o posicionamento do Cadum e do Eustáquio sobre as punições (punir usuários que contribuem mas não formatam o texto adequadamente num projeto colaborativo chega a soar engraçado). Também acho que o livro de estilo tem que ser mais objetivo e dar menos margem a múltiplas interpretações, e acho que uma votação "em blocos" seria melhor. --Lipediga! Paraná 04h07min de 14 de novembro de 2009 (UTC)
Icon yes.png Concordo com o Lipe e o Cadum. Para quê a pressa? estaremos aqui pelos próximos 150 anos! Se o livro de estilo é tão importante devemos clarificar, como diz o Cadum, parte por parte, ou seja, escolhemos um bloco (ou assunto, por exemplo: a questão das predefinições) e o dissecamos. Á medida que cada bloco for sendo esgotado e aceito consensualmente incorpora-se-o ao livro de estilo. EusBarbosa - "Por um Wikcionário LIVRE!" 13h33min de 14 de novembro de 2009 (UTC)

Padronização dos artigos[editar]

Movido de: Wikcionário:Esplanada#Padronização dos artigos.

É de fácil percepção em alguns verbetes a desorganização e a falta de padronização. São elas variações na escrita, uso de predefinições etc. Eu vim aqui para tentarmos chegar a um acordo para os seguintes casos que podem ser corrigidos ou devem:

  1. Idioma do verbete (seção nível 1) com ligação interna. Em alguns verbetes, na maioria de línguas estrangeiras, o idioma está com uma ligação interna ( [[]] ). Mas a maioria não tem.
  2. 'Adjetivo' ou 'Adjectivo' na classe gramatical (seção nível 2). Vejam a diferença nos verbetes adjetivo e adjectivo onde esta está escrita diferentemente.
  3. Divisão silábica em locuções substantivas.
  4. Fraseologia ou Expressões. Em meu ver, cabe-nos por ao invés destes dois nomes particularmente errôneos, Locuções. Este nome permite incluir na seção, tanto locuções como expressões e fraseologia, visto que não cabe liberalismo econômico ser considerado uma expressão, por exemplo.
  5. Escopo em maiúsculo ou minúsculo.
  6. Substantivos "comum aos dois géneros" ou "masculino ou feminino".
  7. gri.far ou pro.pa.ro..to.na . Alguns usam esta predefinição de grifar, outros usam proparoxítona/paroxítona/oxítona.
  8. Inicial maiúscula ou minúscula nas definições.
  9. Ponto final ou não nas definições.
  10. Translineação em palavras árabes, gregas etc.

Quem quiser, coloque mais casos em que devemos entrar em acordo da forma em que são registrados. Ou registados? - Bille ® 16h38min de 15 de março de 2010 (UTC)

Só uma nota em relação ao ponto 7 (grifar ou proparoxítona): a utilização das predefinições "proparoxítona", "proparoxítona aparente", "oxítona" e "paroxítona", salvo erro, só podem ser usadas em palavras em português. Eu seu pretender assinalar a tonicidade de uma palavra em francês, apenas posso usar o "grifar". Malafaya disc. 17h47min de 15 de março de 2010 (UTC)
Isso tudo me parece discussão para o livro de estilo, não acho que deva ser realizada aqui na Esplanada.
--Valdir Jorge  fala!
Liberdade sim, anarquia não! 17h59min de 15 de março de 2010 (UTC)
Citação: Só uma nota em relação ao ponto 7 (grifar ou proparoxítona): a utilização das predefinições "proparoxítona", "proparoxítona aparente", "oxítona" e "paroxítona", salvo erro, só podem ser usadas em palavras em português. Eu seu pretender assinalar a tonicidade de uma palavra em francês, apenas posso usar o "grifar". escreveu: «Malafaya»

Eu quis dizer realmente em verbetes em português, não pedi para excluí-la. Até porque ela é útil em outros idiomas.

Citação: Isso tudo me parece discussão para o livro de estilo, não acho que deva ser realizada aqui na Esplanada. escreveu: «Valdir Jorge»

Valdir, penso que devamos discutir aqui e saber a opinião dos outros por ser um local mais visível. Depois podemos alterar no livro de estilo o que for decidido. - Bille ® 20h49min de 15 de março de 2010 (UTC)

Icon yes.png Concordo com o Valdir. Aqui na Esplanada não dá para discutir todos esses pontos. Até porque depois o assunto morre e fica o dito pelo não dito, até que alguém o ressuscite e comecemos tudo da estaca zero para não chegar lugar algum. EusBarbosa - discussão"Por um Wikcionário LIVRE!" 01h02min de 16 de março de 2010 (UTC)

Movido de: Wikcionário:Esplanada#Padronização dos artigos.

Há outros problemas:

  • #: ou #* nos exemplos.
  • # ou * para listar os anagramas.
  • transformar todas as palavras em ligações ou só algumas.

É o que me lembro por agora. Լսɑɴ fala! 21h28min de 16 de março de 2010 (UTC)

set#Phrasal Verbs[editar]

Olá pessoal! O que fazemos com a seção #Phrasal Verbs??? Como encaixamos e traduzimos ela? Լսɑɴ fala! 01h27min de 27 de Maio de 2010 (UTC)

Por mim, vai como ===Expressões===.
--Valdir Jorge  fala!
01h53min de 27 de Maio de 2010 (UTC)
Então, está Yes check.svg Feito. Լսɑɴ fala! 02h49min de 17 de junho de 2010 (UTC)