Utilizador Discussão:Jéssica S. Ciqueira

Origem: Wikcionário, o dicionário livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Olá, Jéssica S. Ciqueira, bem-vindo(a) ao Wikcionário !

Welcome to the Portuguese edition of Wiktionary. If you have trouble understanding Portuguese, please consider using Babel so we are aware of your difficulties.
O Wikcionário surgiu em 2004 e com o tempo foram estabelecidos vários princípios definidos pela comunidade. Por favor, reserve alguns minutos para explorar os tópicos seguintes antes de começar a editar no Wikcionário.
Leituras recomendadas
Crystal Clear app Startup Wizard.png Tutorial
Aprender a editar passo a passo num instante.
Crystal Clear app kedit.png Zona de testes
Para fazer experiências sem danificar o Wikcionário.
Crystal Clear app error.png O que o Wikcionário não é
Saber o que não se realiza no Wikcionário.
Reciclagem.png Tarefas
Onde pode receber propostas de tarefas no Wikcionário.
Crystal Clear action apply.png Livro de estilo
Definições de formatação normalmente usadas.
Nuvola apps ksirc.png FAQ
O que toda a gente pergunta.
Crystal Clear app lassist.png Políticas do Wikcionário
Regulamentos gerais a saber.
Crystal Clear action info.png Ajuda
Manual geral do Wikcionário.
Presa de decissions.png Versões da Língua Portuguesa

Veja as condições acerca das versões da língua portuguesa.

Crystal Clear app help index.svg Critérios de inclusão

Veja quais tipos de palavras podem ser incluídas no Wikcionário.

Importante!

Para facilitar a criação de verbetes seguindo as recomendações estabelecidas pela comunidade, leia também a pequena documentação existente em Predefinição:cria-verbete.

 Se você é já um editor com conhecimentos do código wiki, tenha em atenção as seguintes recomendações:

  1. coloque em outra(s) página(s) uma ligação para qualquer página que você criar, senão ela vai aparecer na lista de verbetes órfãos e algum outro usuário vai ter que corrigir/completar o seu trabalho;
  2. coloque saídas para outros verbetes, senão o seu verbete vai aparecer na lista de páginas sem saída e algum outro usuário vai ter que corrigir/completar o seu trabalho;
  3. categorize seu verbete, senão ele vai aparecer na lista de verbetes não categorizados e algum outro usuário vai ter que corrigir/completar o seu trabalho;
  4. crie as eventuais categorias novas que você usar em seu verbete, senão elas aparecerão na lista de categorias pedidas e algum outro usuário vai ter que corrigir/completar o seu trabalho;

Esta é a sua página de discussão, na qual pode receber mensagens de outros Usuários. Para deixar uma mensagem a um Usuário deve escrever na página de discussão dele, caso contrário ele não será notificado. No fim da mensagem assine com quatro tiles: ~~~~
  • Desejo-lhe uma boa estadia no Wikcionário!

-- Valdir Jorge  fala!
16h48min de 15 de novembro de 2015 (UTC)

Índice

Referências

t+[editar]

Olá Jéssica! Vim aqui te falar sobre esta alteração. A predefinição {{escopoUso}} padroniza os escopos (coloquial, informal, popular são o mesmo contexto de uso, por exemplo, e então são valores que apontarão para um resultado único e uniforme) e também insere automaticamente a categoria relacionada. A entrada "t+" não se refere à Internete (como navegador, orkutiano, correio eletrônico, tuitar), mas a um modo de falar que tem a internete como ambiente (como "vc", "tc", "tbm"). Por isso, trata-se do internetês o contexto de uso dessa entrada. Assim, peço que desfaça sua alteração. Cumprs, Լսɑɴ fala! 12h25min de 17 de novembro de 2015 (UTC)

Todo o português é usável na Internet, logo tudo poderia receber o contexto Uso: internet como foi colocado no verbete, se se quiser categorizar como ocorrendo na Internet, que é comum e próprio da Internet, o adequado seria Internetês pois isso não deixa margem para interpretação, por isso eu categorizarei-a conforme isso posto, obrigada.--Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 20h27min de 17 de novembro de 2015 (UTC)
Modifiquei a página novamente, para a formatação corrente aqui no Wikcionário. --Լսɑɴ fala! 21h34min de 17 de novembro de 2015 (UTC)
Jéssica, por favor, seja mais atenta! A categoria é a mesma. Devolva a predefinição, que é apenas um modo de padronização. Cumprs, Լսɑɴ fala! 21h35min de 17 de novembro de 2015 (UTC)
Eu te notifico que categorizei adequadamente antes de você pôr a notificação acima, e não usar Uso nos escopos é o corrente no Wikcionário, o termo Uso no escopo é inecessário.--Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 21h41min de 17 de novembro de 2015 (UTC)
Se não concorda com a existência de "Uso:" na predefinição:escopoUso abra um tópico na Esplanada ou na discussão da predefinição e proponha a remoção. Ainda que exista desde 2009. --Լսɑɴ fala! 21h50min de 17 de novembro de 2015 (UTC)

Jéssica, o que quer com essa nova reversão??? A predefinição:escopoUso não possui mais "Uso: ". Estou sem entender a insistência. Լսɑɴ fala! 17h17min de 22 de novembro de 2015 (UTC)

Por dois motivos, o primeiro e que é o mais importante é, a etiqueta de categoria no final do verbete é bem mais simples para os contribuidores novos notar e perceber e para daí serem capazes de vir categorizar, devido a isso, como é usado largamente, torna-se também questão de consistência com os demais verbetes, alguém pode usar justamente aquele verbete como modelo, o segundo motivo é que a escopagem feita com a predefinição com a sequência de caracteres contendo Uso é como uma chave que foi mudada para posição desligada esperando-se o momento futuro que possa ser ligada, a categorização com etiqueta no final dá além daquilo posto no motivo primeiro acima escrito, também não deixa em risco que se possa mudar as coisas passando-se a chave a ligado.--Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 15h57min de 27 de novembro de 2015 (UTC)

Correção de verbos no futuro do presente[editar]

Jéssica, no futuro do presente, o verbo só aceita próclise ou mesóclise. Portanto, o correto é "categorizá-la-ei".

Leonardo José Raimundo (Discussão) 20h48min de 20 de novembro de 2015 (UTC)

O futuro do presente em hei de categorizar existe e não tem próclise, nem mesóclise, nem pronome... então o futuro do presente não aceita só próclise e mesóclise no verbo, e no Brasil não se usa tanto próclise e mesóclise (isso para não dizer que o contrário é o comum), ainda mais sendo aqui uma PDU, errado não está. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 21h58min de 21 de novembro de 2015 (UTC)

Já editava antes?[editar]

Olá Jéssica! Você já editava outro projeto da Wikimedia? Não achei registros seus noutros cantos. Para quem começou aqui nesse mês, você usa uns termos de quem é mais experiente, além de não cometer erros comuns a iniciantes. Menina prodígio? kkkkkk Cumprs, Լսɑɴ fala! 18h20min de 22 de novembro de 2015 (UTC)

Note que os termos e as recomendações estão todas na extensa documentação e no que falta alguma coisa que fique com dúvida olho e olhei a forma que os outros editores mais experientes editavam e editam aqui já antes de começar a editar, acompanhei uns mais, outros menos, e se essa sua observação é sobre um comentário meu na página de discussão de categorias, mais uma vez, os termos e procedimentos e argumentos estão nas páginas de discussão e documentação, lá na própria página também, para serem lidos, nada tem de prodígio, não é prodigioso ser papagaia e repetir o que os outros já usam como termos e como forma de editar, afinal é para isso que as páginas de documentação e discussão são preservadas e se pode ver o histórico de edição das páginas de palavras, como fiz, é para que outros possam aprender, prodígio seria aprender outro idioma fluentemente no mesmo tempo, isso seria prodígio.
Se editava antes? Trenei em casa, mais precisamente usando o mostrar previsão da página do Wikcionário chamada Zona de testes como é indicado aqui Tuturial/Edição na seção Mostrar previsão, na página Zona de testes está escrito: Sinta-se livre para testar suas habilidades em edição aqui, ali dá para testar e ir treinando. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 00h17min de 23 de novembro de 2015 (UTC)
Fico feliz que as páginas de ajuda tenham sido úteis para você! "Menina prodígio" só foi uma brincadeira. E fiz a pergunta pois você demonstrou certas habilidades e comportamentos que não vejo em usuários tão novatos. Ah, ainda espero uma resposta acima sobre a edição que você desfez novamente. Cumprs, Լսɑɴ fala! 12h50min de 23 de novembro de 2015 (UTC)

Minha batalha pessoal contra os verbetes órfãos[editar]

Olá Jéssica!

Gostaria de te fazer um pedido: ao criar verbetes, clique no link "Páginas ligadas a esta" na caixa de ferramentas à esquerda da página. Se o resultado for "Não existem ligações para...", então será que você poderia criar uma ligação de algum outro verbete para este que você acabou de criar? Por exemplo, uma tradução nas páginas correspondentes em português, ou uma indicação de sinonimia ou de antonimia em algum outro verbete, ou mesmo uma referência na seção "Ver também" de um outro verbete. Qualquer coisa (válida, claro) vale. Alguns verbetes recentemente criados por você estão nessa situação:

Isso é importante para mim pois estou tentando diminuir o número de páginas que aparecem na lista de páginas órfãs. Com a ajuda de todos acho que posso cuidar desse problema.

Será que você poderia me ajudar? Obrigado de antemão.

--Valdir Jorge  fala!
09h41min de 3 de dezembro de 2015 (UTC)

Olá!
Mais dois verbetes criados recentemente por você e que têm o problema descrito acima:
--Valdir Jorge  fala!
08h24min de 12 de fevereiro de 2016 (UTC)
Olá de novo Jéssica!
Desculpe-me voltar a falar sobre isso, mas você continua a criar verbetes órfãos. Por favor, vá lá na lista e "desorfanize" os verbetes que tiver criado. Obrigado mais uma vez pela compreensão.
--Valdir Jorge  fala!
10h11min de 29 de abril de 2016 (UTC)
Olá mais uma vez!
Dê uma olhada outras vez na lista de verbetes órfãos. Tem alguns ali que te "pertencem". Será que daria para você ajudar com essa tarefa? Obrigado.
--Valdir Jorge  fala!
17h11min de 14 de julho de 2016 (UTC)
Olá Jéssica!
Você poderia ir de novo na lista de órfãos? Tem alguns verbetes ali que são criações suas recentes.
Obrigado.

Comportamento desestabilizador[editar]

Você está com comportamento desestabilizador. Antes de retirar avisos e marcações, procure entendê-las, procure discutir abrindo tópicos nas páginas de discussão. Não provoque guerras improdutivas de edição.


Uma de suas recentes edições mostra que você está atualmente envolvido em uma guerra de edições. Estar envolvido em uma guerra de edições pode resultar em seu bloqueio. Desfazer o trabalho de um outro editor — seja integralmente ou em parte, quer se trate do mesmo material ou de material diferente também conta como uma reversão.
Para evitar transtornos, em vez de reverter, por favor considere usar a página de discussão da página para trabalhar e fazer uma versão que reflita consenso entre os editores.

Nuvola apps important.svg Atenção!

Cara editora, por favor, não remova a marcação de violação de direitos autorais, suspeita de violação de direitos autorais, eliminação rápida ou eliminação votada.

Edições assim, além de rapidamente revertidas (como nesse caso), não impedem a comunidade de se pronunciar sobre o assunto. Se você não concorda com a indicação de eliminação, enquadre a página nas políticas vigentes e verifique se ela cumpre os critérios de inclusão.

Caso contrário, não volte a remover o aviso de eliminação; a insistência nessa atitude será considerada vandalismo, o que poderá implicar o bloqueio de sua conta. Obrigado.


Boas edições, Լսɑɴ fala! 15h30min de 12 de dezembro de 2015 (UTC)

Bem vê-se o nível. Լսɑɴ fala! 16h17min de 12 de dezembro de 2015 (UTC)

Por favor pare, do contrário terei de enviar mais um outro aviso sobre sua prática de wiki-intimidação e wikibullyngnação mais uma vez, por favor pare. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 16h33min de 12 de dezembro de 2015 (UTC)
Eu retirei o aviso da sua página para que não tenha de arquivá-lo, e pedindo que releve meu ato, você não tem culpa, não pode ficar manchado por ter opinião e não fez nada errado, paro de editar a partir de agora aqui para evitar conflitos e desgastes desnecessários. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 00h52min de 15 de dezembro de 2015 (UTC)
Eu reavaliei melhor, melhor eu continuar editando e poder apresentar opinião.--Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 02h18min de 23 de dezembro de 2015 (UTC)

Feliz Natália[editar]

Desejo a você e a todos os usuários da Wikipédia e do Wikcionário uma Feliz Natália e um próspero Ano Novo. Natália porque é o feminino de Natal.

Leonardo José Raimundo (Discussão) 06h15min de 25 de dezembro de 2015 (UTC)

A Palavra "Natal, gramatical mente é um adjetivo, mas quando colocamos um artigo definido ou indefinido a esquerda ganham a categoria de outra classe gramatical." Portanto, todos os substantivos terminados em 'al' só têm um género, neste caso o género masculino [o Natal ] [nunca a Natália, que poderia ser um substantivo próprio]. Severo António Lopes (Discussão) 17h42min de 23 de janeiro de 2016 (UTC)

Resposta à discussão de Jéssica S. Ciqueira[editar]

Jéssica, o Wikcionário foi feito para criar verbetes. Ele não pode ser eliminado. Isso que você está pedindo viola os termos do projeto.

Leonardo José Raimundo (Discussão) 19h21min de 10 de janeiro de 2016 (UTC)

O que estou pedindo que viola exatamente? --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 19h24min de 10 de janeiro de 2016 (UTC)
Você está pedindo que delete o Wikcionário todo, como você disse na Esplanada.
Leonardo José Raimundo (Discussão) 19h28min de 10 de janeiro de 2016 (UTC)
Não pedi, eu disse, se tudo que tem em inglês e que for entrável por ser citável como se fosse português for entrado como verbetes no Wikcionário, se terá invariavelmente todo o inglês aqui como se fosse português, muitas pessoas não usam mais aspas, itálico ou negrito por pura preguiça em todo lugar na internete quando usam línguas estrangeiras, e há pessoas que desejam ter o inglês como se fosse português e querem unir a todo custo, acho que elas creem que o português é para não evoluidos, têm pena dos não evoluídos, e que tem de ser etimológico no mínimo, exemplo, se escrever -> suffixo em lugar de sufixo, tomou um chá de erva doce mal adoçado quem pensa assim, ou comeu trufas com creme acre, isso quando no século anterior fizemos justamente o contrário e continuamos a fazer nesse, o chamado aportuguesar, isso quando não insistem a vir com outras palavras com sequência de letras ainda mais complicadas para lusófonos por estarem longe das que utiliza-se, essas caras pessoas usam dessa falha (achar grafia feita sem cuidado e sem sinal de que não é português) para incluir termos de outras línguas como se fosse português, eu não sou contra usarem, só não queiram que todos venham a usar, se querem pular na nova onda, não queiram levar outras a reboque, eu já testemunhei essa ação diante de mim na presença de uma desafortunada pessoa anjo que por não ter zelo com o português retirou português de fato já reconhecido para pôr português não considerado português de fato, pois não era do gosto, infelizmente.
Se o pessoal que vai em toda onda e sai meneando nelas por aí não parar de incluir coisas que não são português como se fosse, pois é-lhes apelativo no âmbito pessoal, se não pararem, é o que um dia alguém vai acabar por propor, para quê dois Wikcionários em inglês, indagação, e com razão, location, location, location, viu como é fácil, pelo que se apresenta, sem aspas, não devemos incluir como português. Eu não verei o porquê de não deletar esse Wikcionário e ficar com o outro, já que o outro está no endereço certinho e é mais chique, mas eu mesmo propor, não, eu não. Mas não ia ser todo o Wikcionário, tinha de ficar uma página para o redirecionamento, rs (PS: os anglófonos querem reformar o próprio idioma com uma reforma ortográfica não é de hoje e tem gente que faz uma força de titã para bagunçar o nosso com empréstimos não aportuguesados). --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 21h01min de 10 de janeiro de 2016 (UTC)
Jéssica, no Wikcionário, marcas não são aceitas. Isto é um dicionário, e deve-se criar verbetes como está nos dicionários. Sugiro a você criar prenomes masculinos. Isto é aceitável no Wikcionário.
Leonardo José Raimundo (Discussão) 11h41min de 19 de março de 2016 (UTC)
Eu vi nas suas contribuições que você insiste em criar verbetes com adjetivos terminados em -anta. Todos os adjetivos terminados em -ante são comuns aos dois gêneros. Se você insistir nessa atitude, eu serei obrigado a indicar seus verbetes para eliminação rápida.
Leonardo José Raimundo (Discussão) 01h32min de 20 de maio de 2016 (UTC)
Você se recorda de algum adjetivo desses terminados em -anta para me indicar? É que eu não estou conseguindo lembrar.--Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 01h40min de 20 de maio de 2016 (UTC)
Sim, você criou os verbetes ajudanta e representanta. Esses verbetes não existem em nenhum dicionário. Agora farsanta, comandanta e comedianta existem. Além desses verbetes, eu indicaria para eliminação rápida os verbetes caçulo e dicionária.
Leonardo José Raimundo (Discussão) 02h45min de 20 de maio de 2016 (UTC)
Pensando bem prefiro deixar esses desses casos quietos.--Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 04h03min de 20 de maio de 2016 (UTC)

Jéssica, eu ouço música evangélica enquanto acesso a Wikipédia e o Wikcionário. Aumenta e muito minha produtividade. Eu indicarei a música Mudou meu Viver, de Wellington Camargo.

Leonardo José Raimundo (Discussão) 16h33min de 23 de julho de 2016 (UTC)

Vamos por partes:
  1. Se elas não estão fazendo mal a ninguém, eu não vejo mal nenhum nas pessoas serem como são.
  2. Isso depende do termo em que a pessoa vai usar. Se ela usar um termo obedecendo à norma culta da língua portuguesa, isso torna algo legítimo, mas se usar um termo com linguagem informal ou vulgar, o que é mais grave, torna-se ilegítimo. Usar a linguagem vulgar em um projeto como o Wikcionário significa que essa pessoa não tem instrução. Se alguém quiser criar verbetes no Wikcionário, deve-se usar a linguagem formal.
  3. Teriam muito a ver, pois as pessoas que quiserem criar verbetes no Wikcionário devem cumprir os critérios de inclusão. Se você quiser, leia Wikcionário:Critérios de inclusão e verifique quais são esses critérios para criar esses verbetes.
  4. Ninguém me chamou de Leon ou Lelê. Sempre me chamaram de Léo. É esse o meu apelido. Isso é assunto meu e de quem me chame assim.
  5. Ninguém me disse que Leoni seria o certo. Quem colocou o meu nome foi meu pai e ninguém tem nada a ver com isso.
  6. Se alguém usar um termo usando a linguagem formal, não há como ninguém impedir isso, pois está obedecendo à norma culta da língua portuguesa. Numa redação do ENEM é obrigatória essa linguagem. Porém, se alguém usar a linguagem informal ou vulgar, quem escreve certo tem o direito de corrigir as pessoas que escrevem errado.
  7. Não. Isso não seria certo. Todos têm o direito de usar o termo que quiser, contudo que obedeçam às regras da língua portuguesa, usando a linguagem formal.
  8. Pichar as pessoas é erradíssimo. Pichação é crime e dá cadeia.
  9. Como eu disse, isso depende do termo em que a pessoa vai usar. Por exemplo, se alguém usar um termo relativo à Bíblia, tem gente que não gosta de Bíblia, mas mesmo assim, devemos tomar cuidado em que idioma criar os verbetes com livros da Bíblia, porque em países muçulmanos, quem tiver a Bíblia em casa é preso, e quem sair com ela é morto. Agora, se usarem um termo relativo aos nomes de santos, também devemos tomar cuidado ao falar esses nomes. Há santos em que o evangélico não pode falar. Então, se um evangélico proibir os católicos de falarem nomes de alguns santos, o assunto é dos evangélicos. Se alguém falar ou escrever palavrão, o assunto é de todo cristão proibir as pessoas de usarem termos obscenos, pois falar ou escrever palavrão, além de feio é pecado. Há também termos afro-brasileiros que o evangélico não pode falar de jeito nenhum.
  10. Se uma pessoa quer mandar no que não é da conta dela, essa pessoa sim é opressora, ditadora, sem razão e sem limites, pois a ditadura militar acabou em 1985. Portanto, nós somos livres para fazer o que gostamos.
Leonardo José Raimundo (Discussão) 12h35min de 21 de janeiro de 2017 (UTC)
Recomendo a você pesquisar Especial:Registo/delete para verificar os verbetes que foram eliminados por erro de ortografia e também por não seguir a norma culta da língua portuguesa.
Leonardo José Raimundo (Discussão) 13h34min de 21 de janeiro de 2017 (UTC)
Vamos de novo por partes:
  1. Sim. Tudo o que não é norma culta é ilegítimo. Nós devemos obedecer às regras da língua portuguesa.
  2. O Wikcionário não registra verbetes fora da norma culta. Por favor, leia Wikcionário:Critérios de inclusão.
  3. Eu disse que não tinha problema as pessoas serem como são. Entenda a minha resposta.
  4. As pessoas usam linguagem informal porque o mundo é assim, e ninguém pode mudar isso. Como eu disse, a linguagem vulgar é para pessoas que não têm instrução. Exemplos: analfabetos e pessoas que moram na roça.
  5. No Wikcionário, eu nunca criei verbetes fora da norma culta. Tudo o que eu criei no Wikcionário obedece à norma culta da língua portuguesa. Já terminei o Ensino Médio e sei muito bem escrever corretamente.
  6. Quem já usou algo fora da norma culta precisa se corrigir e criar verbetes conforme essa norma.
  7. Não. Quando alguém cospe no prato em que comeu, deve pedir perdão à pessoa que fez isso.
  8. Primeiro, corrigir não é querer mandar nas pessoas, e sim discipliná-las; segundo, eu não obrigo ninguém a escrever certo, e sim oriento-as, e terceiro, se alguém quiser criar verbetes no Wikcionário, deve-se cumprir os critérios de inclusão.
  9. Primeiro, eu sigo as normas da Bíblia, e segundo, da língua portuguesa.
  10. O nome dessa norma é norma culta da língua portuguesa. Nós devemos obedecer a essa norma se quisermos criar verbetes no Wikcionário.
  11. Como eu disse, não obrigo ninguém a escrever certo, e sim oriento-as.
Leonardo José Raimundo (Discussão) 17h02min de 21 de janeiro de 2017 (UTC)

Re: Questão[editar]

Olá Jéssica!

Citação: Você escreveu: «Se uma página de discussão de um verbete for movida a página do verbete vai junto?»

Não tenho certeza, acho que nunca fiz uma modificação assim. Tente e se sair errado a gente desfaz.

--Valdir Jorge  fala!
19h17min de 11 de janeiro de 2016 (UTC)

Inglês ao invés de português[editar]

Olá Jéssica!

Alguns dos verbetes criados recentemente por você (Flying Dutchman, Great Britain, partner) estão com o idioma errado no topo da página.

Valdir Jorge  fala!
11h03min de 18 de janeiro de 2016 (UTC)

Prefixos[editar]

Olá Jéssica!

Não tenho tempo de te explicar por completo agora, mas seu entendimento do que é um prefixo e de como ele deve ser grafado está equivocado. Dê uma olhada na categoria Prefixo (Português). Todos os verbetes catalogados lá têm um hífen (com a exceção dos que você criou recentemente). Por isso gostaria de te pedir que suspendesse seu trabalho nos prefixos até que eu tenha tempo de te explicar o que você está fazendo errado. Obrigado.

--Valdir Jorge  fala!
21h16min de 22 de janeiro de 2016 (UTC)

Bem, deixe-me falar primeiro sobre uma coisa que não está ligada diretamente aos prefixos. É sobre suas respostas quilométricas. Fica difícil entender o que você está tentando dizer quando você escreve uma sentença que continua por dez ou quinze linhas sem uma pausa. Se você quiser se fazer entender pelos seus interlocutores, deve tentar colocar suas ideias num formato que o cérebro humano seja capaz de processar. Faça sentenças de no máximo duas ou três linhas, separe suas ideias e siga uma linha lógica quando estiver desenvolvendo seu pensamento.
Volto mais tarde para falar mais especificamente sobre os prefixos, mas por enquanto dê uma olhada como estão grafados os prefixos nas etimologias do verbete proactivo na Priberam.
Até depois...
--Valdir Jorge  fala!
11h45min de 25 de janeiro de 2016 (UTC)
Quanto ao modo como ponho o conteúdo das repostas, vou tentar, mas eu não garanto que consiga, às vezes acho que fica faltando colocar coisa pois está insuficiente.
Eu dei uma olhada na entrada indicada, mas não mostra o título direto, fui ver na entrada dedicada que seria o equivalente ao título de cá para prefixo através de pesquisa direta entrando como pesquisa 'pro' acentuado, sem acento, todas as quatro variações possíveis (no total) para ver como é que fazem, isso tanto na caixa de busca quanto digitando direto na barra de endereços e eles voltam o mesmo resultado para qualquer dessas formas na mesma página de resultado, o Priberam desconhece o conceito de espaço nominal e título de verbete como cá se faz conclui-se, não tem aquilo que chamamos de título de verbete, que é o nome título de verbete dentro de um espaço nominal, eu achei isso. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 22h37min de 25 de janeiro de 2016 (UTC)
Olá Jéssica!
Lá no verbete proactivo na Priberam vê-se isto:
pro·ac·ti·vo |àtí|
(pro- + activo)
...
pró·-ac·ti·vo |àtí|
(pró- + activo)
O que se deduz disso é: não importa se a palavra original tem hífén (pró-activo) ou não (proactivo), a etimologia sempre apresenta o prefixo com um hífen (pro- ou pró-). Nunca zero, nunca dois, sempre um hífen. Esta é a lição de hoje. Amanhã eu continuo com mais, se precisar.
--Valdir Jorge  fala!
13h46min de 26 de janeiro de 2016 (UTC)
E isso é errado pois ignora o fato de em um caso não haver hífen, e observe como é separado pró-activo acima silabicamente no Priberam, deduz-se que o Priberam no caso dos prefixos não se dá nem ao luxo de verificar a separação silábica, eles consideram que o hífen como apontaste pró·-ac·ti·vo (e eu conferi na página igualmente) faz parte do radical, daí o desencontro deles, eu penso que no tocante ao verbete proactivo o Priberam não serve de modelo.--Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 22h28min de 26 de janeiro de 2016 (UTC)
Olá Jéssica!
Wow! Como dizem os americanos, "those are some pretty big balls you've got there"... Dizer que um dicionário conceituado como a Priberam está errado porque não condiz com a sua visão errônea do que são prefixos é dose para dinossauro...
Mas eu estou em "teaching mood", então vamos lá mais uma vez: veja as definições de pró- e pró-ativo na Infopédia; e volte aqui para me dizer se desta vez está convencida.
--Valdir Jorge  fala!
09h47min de 27 de janeiro de 2016 (UTC)
Veja se eu não tenho razão quanto ao Priberam, como indicado aqui o Portal da Língua Portuguesa é a figura legal que disponibiliza o vocabulário segundo o AO 1990 em Portugal, estou correto até aqui, penso. Do dito portal se extrai o teor da elencação do verbete pró-ativo daqui, o seguinte:
pró-a·ti·vo
Colocando o sublinhado lá que com que eles marcam a tônica, fica assim:
pró-a·ti·vo
Priberam, pode ser conceituado pelo conteúdo das definições, pela escorreição, parece que tá deixando um pouquinho a desejar, eu acho, pelo que se entende, o hífen pela figura legal que é o Portal da Lingua Portuguesa, nunca que vai no radical de carona na hora de dividir silabicamente [pós-adendo: ele vai repetido] mas o Priberam deixa, é de se crer por considerarem parte do radical, por isso que eu disse que o Priberam nesse caso não dá para seguir em nada, escorregou no quiabo [pós-adendo: teria de repetir conforme o texto do AO abaixo]; Já a Infopédia grafa o hífen como aparece, da mesma forma que pró- que cá existe, já se grafarem com hífen o prefixo pro, nisso estarão errados, ainda mais se na etimologia lá aparecer um hífen, pois nenhuma palavra com prefixo pro terá hífen, o melhor exemplo dessa nossa conversa é a própria palavra proativo cuja etimologia é pro + ativo que dá proativo, se fosse pro- + ativo daria pro-ativo, lógica pura.--Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 11h07min de 27 de janeiro de 2016 (UTC)
Lendo o AO último, Na Base XX do acordo, artigo como segue, lá no FLIP:

6.º Na translineação de uma palavra composta ou de uma combinação de palavras em que há um hífen ou mais, se a partição coincide com o final de um dos elementos ou membros, deve, por clareza gráfica, repetir-se o hífen no início da linha imediata: ex- -alferes, serená- -los-emos ou serená-los- -emos, vice- -almirante.

Agora é obrigatório repetir o hífen, logo vou colocar dois nas entradas em que ele se repita, por isso que o Priberam estava estranho, não é o jeito certo, tem de repetir o hífen para que se perceba, se você soubesse teria retrucado na hora pondero, não muda muita coisa, agora tenho de pôr além de um o outro. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 19h55min de 27 de janeiro de 2016 (UTC)


O priberan e o portal da língua portuguesa podem / devem "clarificar", mas o que vigora / é Lei é o acordo: BASE XVI: DO HÍFEN NAS FORMAÇÕES POR PREFIXAÇÃO, RECOMPOSIÇÃO E SUFIXAÇÃO -- Nas formações com prefixos (como, por exemplo: ante-, anti-, circum-, co-, contra-, entre-, extra-, hiper-, infra-, intra-, pós-, pré-, pró-, sobre-, sub-, super-, supra-, ultra-, etc.) e em formações por recomposição, isto é, com elementos não autónomos ou falsos prefixos, de origem grega e latina (tais como: aero-, agro-, arqui-, auto-, bio-, eletro-, geo-, hidro-, inter-, macro-, maxi-, micro-, mini-, multi-, neo-, pan-, pluri-, proto­, pseudo­, retro-, semi-, tele-, etc.), só se emprega o hífen nos seguintes casos:
proactivo/proativo (pro-activo/pro-ativo) é apenas um neologismo e como tal deve ser tratado


Você leu a parte que diz: só se emprega o hífen nos seguintes casos:, isso revoga imediatamente toda a hifenização acima que não recaia naqueles casos abaixo listados que ele indica que pode-se empregar o hífen, viu pro não tem, viu, viu, viu, obrigado por ajudar a esclarecer ainda mais, e mostrar que o prefixo pro realmente não tem pelo texto do AO; PS: pro-activo/pro-ativo segundo me consta por isso, são invalidados pelo AO por essa razão.--Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 13h35min de 27 de janeiro de 2016 (UTC)

Olá Jéssica!

Pedi lá em cima e repito aqui: gostaria de te pedir que suspendesse seu trabalho nos prefixos por agora (todo e qualquer trabalho com prefixos, principalmente essa história de duplicar hífens na silabação). Você está estragando verbetes e suas modificações terão que ser revertidas. Obrigado pela compreensão.

--Valdir Jorge  fala!
20h29min de 27 de janeiro de 2016 (UTC)

Citação: Jéssica escreveu: «Já a Infopédia grafa o hífen como aparece, da mesma forma que pró- que cá existe, já se grafarem com hífen o prefixo pro, nisso estarão errados,»
O que eu deduzo da frase acima é que não importa qual fonte eu te apresentar; se a fonte não concordar com a sua opinião, essa fonte estará errada. É isso?
--Valdir Jorge  fala!
13h58min de 1 de fevereiro de 2016 (UTC)
Veja a proposta feita aqui, eu não discordei com a qualidade e teor da tal proposta que diz um hífen para prefixos/sufixos; objetivamente à pergunta quanto as fontes, se a fonte não concordar com a sua opinião no caso a minha opinião, que é um julgamento pessoal, essa fonte estará errada. É isso?, quanto à minha opinião, a fonte estará de acordo com o poder de convencimento que ela tiver. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 22h12min de 1 de fevereiro de 2016 (UTC)
Eu estou meio lento, desculpe-me, não entendi o que você disse acima. Por isso vou perguntar de novo bem simples assim: se a fonte não concordar com a sua opinião, essa fonte estará errada. É isso?
Por favor, responda sim ou não. Obrigado pela concisão.
--Valdir Jorge  fala!
02h34min de 2 de fevereiro de 2016 (UTC)
Eu respondo, não fujo à pergunta, e até exemplifico para que até durante as eventuais lentidões possa ser entendido, se minha opinião for por exemplo que a cor cobre é cobre e a fonte falar que é metal, a fonte não estará errada, então respondendo a sua pergunta do sim ou não acima: não <-essa é a resposta, espero ter respondido.--Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 22h52min de 2 de fevereiro de 2016 (UTC)
Ah, parabéns, boa resposta. Isso quer dizer então que existem fontes que você vai considerar, mesmo que elas se oponham a sua opinião. Muito bem. Mas você já disse que a Priberam não serve e a Infopédia também não. Então gostaria que me dissesse quais são as fontes que eu deveria pesquisar. Não quero perder o meu tempo procurando em fontes que você vai desconsiderar com um abano de mão. Acho que você me entende, não é?
Obrigado pela consideração.
--Valdir Jorge  fala!
01h05min de 3 de fevereiro de 2016 (UTC)
Isso quer dizer então que existem fontes que você vai considerar, mesmo que elas se oponham a sua opinião eu formo minha opinião baseado no que a fonte diz. Muito bem. Obrigada. Mas você já disse que a Priberam não serve e a Infopédia também não. Então gostaria que me dissesse quais são as fontes que eu deveria pesquisar. Não quero perder o meu tempo procurando em fontes que você vai desconsiderar com um abano de mão. Acho que você me entende, não é? O próprio projeto diz que ocorrência em dicionário é sugestivo? E fala ele mesmo o seguinte?: Sempre que possível, é melhor citar fontes que sejam suscetíveis de se manter facilmente acessíveis ao longo do tempo em mídias tais como os grupos da Usenet, que são arquivados de maneira duradoura pelo Google, livros e revistas também servem, especialmente se seus conteúdos são indexados online <- eis a sua resposta.--Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 06h17min de 3 de fevereiro de 2016 (UTC)

predefinição:escopoUso[editar]

Olá Jéssica! Peço a você que interrompa a retirada da predefinição {{escopoUso}} dos verbetes. A predefinição é muito importante pois padroniza os escopos sobre contexto de uso (como popular=coloquial) e já introduz a categorização correta automaticamente. Cumprs, Luan (Discussão) 12h46min de 22 de fevereiro de 2016 (UTC)

Você fez novamente. Esse já é o segundo aviso. Por favor, encerre esse comportamento. De resto, são positivas suas contribuições para esvaziar Categoria:!Página com idioma não informado em Predefinição:etimologia e ajustar os quadros de flexão a fim da unificação. Cumprs, Luan (Discussão) 17h39min de 23 de fevereiro de 2016 (UTC)

hem e hein[editar]

Olá Jéssica S. Ciqueira! Por favor, pare de apagar material válido e referenciado. Espere eu terminar as edições, eu mal tinha editado um verbete e quando fui modificar o outro, já estava tudo alterado e revertido ao teu gosto. Procure antes discutir, faça uso das páginas de discussão. Não há necessidade de duplicar informação, por isso remete-se as variações para o verbete preferencial. Por isso existem a marca {{avi-for-fle}} e as páginas do Wikisaurus. Melhorei o verbete, corrigindo inclusive erros na definição que você deu e wikificando-a, adicionando e formatando referências e informação útil sobre seu uso. Mas você parte constantemente para guerras de edição comigo. Por favor, argumente, discuta, seja clara e menos conflitiva. Então, espero o seu esclarecimento sobre as edições que fez. Cumprs, Luan (Discussão) 17h39min de 23 de fevereiro de 2016 (UTC)

A marcação de definição {{avi-for-fle}} existe para as formas de categorias gramaticais (exemplo: Forma de adjetivo), não para uma interjeição que não é forma de nada, o paralelo não vale nesse caso.
Tem certeza que um blogue é referência? E que esse é? Ainda mais nesse caso em particular quando é contradito por um VOL que é autoritativo? Pois para mim o VOL desmonta o blogue feito um brinquedo sem parafusos. O autor no blogue faz presunção todinha baseando-se como se hein fosse uma grafia mal escrita da pronúncia de hem e que não tem pronúncia própria dando a entender que hein tem a mesma pronúncia de hem. O VOL indica he.in como dissílabo oxítono (hein na presente data (23/02/2016)), tem um hiatão entre o 'e' e o 'i' de he.in como dissílabo oxítono como o VOL diz, e sem ditongo na sílaba tônica, já hem tem pronúncia como ditongo decrescente nasal quanto ao em na sílaba tônica.
O autor do blogue, tal como diz:
E por que “hem” e não “hein” ... Pela simples razão de que esse som, o de “-êim” ou “-êin” nasalizado final, deve ser escrito (é uma regra da ortografia em português) como “-em” (em palavras com mais de uma sílaba, “-ém”).
Só que a pronúncia do conjunto de vogais em he.in pelo VOL não é como ele diz ser referindo-se a elas como “-êim” ou “-êin”, "he" e "in" de hein são falados com hiato, com tonicidade recaindo no in, se eu usar a pronúncia de hem em hein estarei errada pelo VOL como o próprio VOL indica.
O autor do blogue, tal como diz, mais adiante ao comentar acerca dos gramáticos:
consideram ser ou influência do francês, ou simples escrita errada influenciada pela pronúncia
Na minha ótica ele diz pelos conhecimentos que tenho vindos de quem sabe ou é vulgo empréstimo ou erro gramatical, mas não dá certeza que hein é variação de hem termo português, ele não confirma nem invalida como pode se ler no negritado acima e ainda dá a entender que poderia ser derivado de hein do francês pelo texto que traz como seu conhecimento. O texto do blogue indica que pode ser mais de uma coisa sem dar certeza do quê.
O autor do blogue, tal como diz:
alternativa popular “hein”
Popular quer dizer do povo, povo maioria, já hem não é posto assim (que dependendo do humor pode-se entender como de minoria, velho acabado que pouca gente usa)
A referência (fonte) referencia tudo desse jeito acima posto, não afirma sem deixar dúvidas, não dá certeza, vai contra o VOL e acima de tudo, está sendo usado para sustentar a retirada duma definição num termo popular (pela referência) ainda que o texto da referência tenha todas essas características peculiares não sólidas acima citadas. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 20h06min de 23 de fevereiro de 2016 (UTC)
@Jéssica, primeiro de tudo te parabenizo pela resposta, ainda que grande, você conseguiu ser clara e objetiva. Voltando ao conteúdo da discussão, realmente é um sitio eletrônico formatado em blogue do WordPress. Mas ele aponta fontes e fontes bem reputadas. Começo com o AO90: na BASE II, capítulo DO H INICIAL E FINAL, no artigo primeiro consta que "O h inicial emprega-se: a) Por força da etimologia: haver, hélice, hera, hoje, hora, homem, humor. b) Em virtude da adoção convencional: hã?, hem?, hum!." (página 4, nesta versão disponível no MEC). Agora os dicionários: o Aulete e o Priberam registram "hein" remetendo ao termo "hem". Isso confirma o que o "blogue" afirmou ter preferência a grafia "hem" em detrimento de "hein". O blogue em nenhum momento falou da separação silábica ou da sílaba tônica, eu que achei que fosse oxítono e monossílabo e alterei, cometendo o erro logo consertado a partir da fonte que você apresentou. --Luan (Discussão) 00h36min de 24 de fevereiro de 2016 (UTC)

Comentários sobre algumas de suas contribuições recentes[editar]

Olá Jéssica!

Eis aqui algumas observações sobre suas recentes contribuições:

  • pas de deux: deve ser catalogado como locução substantiva;
  • caceta: os links na definição devem ser colocados prioritariamente nos substantivos; eventualmente em adjetivos e verbos; e muito raramente nos outros tipos de palavras; isso é para evitar o "efeito Árvore de Natal";
  • sincericídio: a separação silábica está incompleta;
  • peona: os verbetes de formas flexionadas devem levar a predefinição avi-for-fle.

Obrigado pela atenção!

--Valdir Jorge  fala!
15h06min de 7 de março de 2016 (UTC)

Não é nenhuma Brastemp![editar]

Olá Jéssica!

Citação: Você escreveu: «Val, eu quero incluir conteúdo para entrada Brastemp, mas de ver sei que digamos, o que acontece com substantivos incluídos com título iniciando com maiúscula como são usados, mas santo algum usa o termo na caixa baixa nas citações para Brastemp, e aí? Brastemp tem referência, brastemp puf... e nem penso que deva ter quem use em caixa baixa no começo. Que eu faço?»

Eu seria contra criar o verbete tanto com inicial maiúscula como com inicial minúscula. Seria contra a inicial minúscula pois essa marca ainda não foi "substantivada" (como é o caso do Bombril, que já virou bombril; e da Gillette, que há muito virou gilete). Seria também contra criar o verbete com inicial maiúscula, pois não penso que devamos abrir essa caixa de Pandora. Se criamos o verbete para essa marca, o que vai impedir outros de criar verbetes para Brahma e outras grandes marcas que fazem parte do dia a dia do brasileiro?

Eu recomendaria que você colocasse o seu conteúdo na página de protologismos. É ali colocamos os verbetes "espinhosos", para serem considerados para edição futura. Feito isso, abra uma discussão na Esplanada pedindo aos demais as suas opiniões a respeito do verbete. Dependendo do que a comunidade decidir, podemos reavaliar o caso.

--Valdir Jorge  fala!
12h38min de 19 de março de 2016 (UTC)

Obrigada, vou incluir, isso já tá bom. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 18h35min de 19 de março de 2016 (UTC)

Feliz Páscoa[editar]

Desejo a você e a todos os usuários da Wikipédia e do Wikcionário uma Feliz Páscoa.

Leonardo José Raimundo (Discussão) 18h26min de 27 de março de 2016 (UTC)

Divisão silábica de locuções substantivas[editar]

Olá Jéssica!

Este comentário é sobre esta sua modificação: a regra aqui no Wikcionário (não me pergunte onde ela está escrita, não sei...) é que não mostramos a divisão silábica em locuções. A ideia é que quem quiser saber como dividir as palavras que compõem uma locução pode ir procurar cada palavra em separado e ver nelas como fazer tal divisão.

Além do mais, a partícula de é átona, não deve ser sublinhada.

--Valdir Jorge  fala!
14h16min de 30 de março de 2016 (UTC)

Taxa de bit(e)s[editar]

Olá Jéssica!

Desculpe-me por ter demorado a responder seu questionamento sobre a locução "taxa de bit(e)s". Você já encontrou a resposta que procurava? Foi por isso que retirou a sua mensagem da minha página de discussão?

--Valdir Jorge  fala!
19h19min de 2 de abril de 2016 (UTC)

Non, é que eu pensei, e se fosse comigo e eu não tivesse no ânimo ou com tempo para responder.--Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 03h48min de 3 de abril de 2016 (UTC)

Predefinição:f e Predefinição:m[editar]

Bom dia, Jéssica! Por me explicar o motivo das reversões não explicadas nessas duas predefinições? Cumprs, Luan (Discussão) 12h36min de 11 de abril de 2016 (UTC)

Ah desculpa, foi só porque eu pensei que tinha sido descuido, eu não vejo problema algum em desfazer as reversões, eu desfaço. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 17h14min de 11 de abril de 2016 (UTC)

Verbetes com problemas de categorização[editar]

Olá Jéssica!

Por favor revise os seguintes verbetes criados recentemente por você:

Em cada um deles, pelo menos uma categoria listada não bate com o cabeçalho de idioma do verbete.

Obrigado.

--Valdir Jorge  fala!
09h24min de 21 de abril de 2016 (UTC)

Pergunta para Jéssica S. Ciqueira[editar]

Jéssica, você nasceu em Abadiânia, Goiás? Se não, você conhece alguém que nasceu, mora ou morou lá?

Leonardo José Raimundo (Discussão) 21h11min de 21 de abril de 2016 (UTC)

Não à primeira e não à segunda. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 21h23min de 21 de abril de 2016 (UTC)
Jéssica, por que você está eliminando sua própria página de usuário e suas subpáginas? Eu nunca eliminaria minha página nem minhas subpáginas de usuário, pois elas são muito importantes para mim. Você está desistindo de criar verbetes no Wikcionário?
Não tenho uma resposta concreta para te dar. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 21h17min de 1 de junho de 2016 (UTC)

Leonardo José Raimundo (Discussão) 21h52min de 29 de maio de 2016 (UTC)

Adjetivos terminados em -ante[editar]

Jéssica, os adjetivos terminados em -ante são comuns aos dois gêneros. Portanto, não existe ajudanta. O feminino de presidente é presidenta, e não presidentessa. Esses verbetes que você criou cedo ou tarde serão apagados. Agora eu tenho uma pergunta: você conhece alguém chamado Uélinton? Porque normalmente se escreve Wellington.

Leonardo José Raimundo (Discussão) 18h54min de 27 de abril de 2016 (UTC)

Parabéns, Jéssica S. Ciqueira[editar]

Você foi muito inteligente ao criar um apêndice com os termos de afetuosidade. Cada um pode criar o seu apêndice no Wikcionário. Eu criei o Apêndice:Livros da Bíblia, e como Luan viu que eu havia criado outros apêndices com livros da Bíblia em inglês, espanhol, francês, italiano e alemão, ele transformou em multilíngue, e para completar o apêndice, eu coloquei as predefinições da Bíblia em aragonês, asturiano, catalão, checo, dinamarquês, esperanto, galego, interlíngua, latim e polonês, e quando eu terminar a predefinição da Bíblia em norueguês com os padrões dano-norueguês e novo norueguês, colocarei esta predefinição neste apêndice.

Leonardo José Raimundo (Discussão) 20h48min de 8 de maio de 2016 (UTC)

Não, não fui não, gentileza sua; É, todos podem criar um; legal que tenha ido bem com a apendagem toda. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 12h53min de 11 de maio de 2016 (UTC)

Verbete 00[editar]

Olá Jéssica!

O verbete 00 foi criado por um anônimo com este conteúdo:

Licença dada a alguns agentes secretos do Reino Unido.

Você quer mesmo que eu restaure?

--Valdir Jorge  fala!
12h25min de 30 de maio de 2016 (UTC)

Num sei se não for feito se se terá desdobramento "ruins" por assim dizer, por via das dúvidas restaura se puder, em não sendo possível, vai do jeito que der para ir. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 20h36min de 1 de junho de 2016 (UTC)
Yes check.svg Feito
--Valdir Jorge  fala!
22h34min de 1 de junho de 2016 (UTC)
obrigada. --Jéssica S. Ciqueira (Discussão) 22h05min de 5 de junho de 2016 (UTC)

Espero que tenha visto minha resposta[editar]

Espero que você tenha visto minha resposta ao comentário que fez, há um bocado de tempo, sobre o exemplo que coloquei no verbete cupcake, na minha página de discussão: https://pt.wiktionary.org/wiki/Utilizador_Discussão:Rapidim?markasread=255325#Frase_de_exemplo_no_verbete_cupcake_n.C3.A3o_tem_o_verbete_cupcake

Rapidim (Discussão) 12h44min de 6 de agosto de 2016 (UTC)

Eu havia lido, faz tempo, ponho algo lá. --Jéssy (Discussão) 11h52min de 7 de agosto de 2016 (UTC)

Eliminação de ligações para o Ethnologue em verbetes de línguas[editar]

Olá Jéssica!

Por que está fazendo coisas como essa? Sua explicação ("no que está escrito na fonte posta, lá não está citado "tártaro da Crimeia" nem mesmo uma vez") não faz o menor sentido. A fonte é em inglês, é claro que não vai aparecer o nome da língua em português! Por favor reverta todas as modificações semelhantes que tenha feito. Obrigado.

--Valdir Jorge  fala!
19h17min de 17 de agosto de 2016 (UTC)

Olá Jéssica!
Citação: Você escreveu: «pior ainda eu retirei por não servir como citação (por não citar)»
Recomendo que você leia o artigo da Wikipédia sobre a falácia do espantalho. Você está criando uma versão da argumentação do adversário e rebatendo essa versão como se fosse a argumentação do adversário. Quando no correr da minha resposta eu só disser "espantalho", vou estar me referindo a isso.
Citações vão no começo do verbete. Ligações externas estão entre as últimas coisas que aparecem num verbete. Uma coisa não tem absolutamente nada a ver com a outra.
Citação: Você escreveu: «agora soma-se essa informação que traz de não pertencerem nem mesmo ao mesmo idioma, motivo adicional para retirar e manter fora»
Estava claramente indicado que a ligação era em outro idioma que não o português:
Informações sobre o idioma tártaro da Crimeia no Ethnologue (em inglês)
O Ethnologue é uma fonte importantíssima sobre os idiomas do mundo. Não temos nada em português que chegue aos pés desse site. Portanto citá-lo (indicando que se trata de fonte em inglês) é perfeitamente válido.
Citação: Você escreveu: «ou por acaso eu posso pegar fontes em inglês e utilizar para criar seções em português?»
Espantalho... Se não existirem fontes fidedignas no idioma nacional, não vejo problema algum em termos ligações bem identificadas para sites em outros idiomas.
Citação: Você escreveu: «Pois fica parecendo que aquele linque era o que estava sustentando o verbete?»
Aquele era só mais uma informação interessante no verbete, não estava sustentando nada.
Citação: Você escreveu: «E com aquele não podia pois não era usável conforme os CdI por não levar a texto com citação»
Espantalho... Onde nos CdI falamos sobre ligações externas?
Citação: Você escreveu: «Além do mais os linques estão sendo usados para citar um código ISO, pois os verbetes não citavam, se é isso elas (fontes sob forma de linque) têm de ir nas seções desses códigos nos seus respectivos verbetes, não é?»
Hein? A página do Ethnologue é sobre o idioma, não sobre o código ISO. O que você disse acima não faz o menor sentido.
Citação: Você escreveu: «¿De qualquer forma os linques retirados estão no lugar errado de duas formas onde estavam? Uma por não ser do mesmo idioma (que você informou), e a outra por serem citações para códigos ISO em páginas de verbetes que não são as páginas para esses códigos ISO?»
Espantalho...
Citação: Você escreveu: «Por exemplo indo as citações ao código ISO ave na entrada ave ao invés de irem em avéstico, pois ave é uma entrada de código ISO e avético é um termo não código ISO.»
Espantalho...
Citação: Você escreveu: «Ou seja, em não estando em português e não citando/abonando/atestando os verbetes em português onde estão, por que é errado retirar um linque?»
Espantalho...
Citação: Você escreveu: «Se o linque não servir para preencher os CdIs não é mais um motivo para retirá-lo de onde não sustentaria a manutenção de uma entrada?»
Espantalho...
Basicamente a maior parte da sua argumentação baseia-se numa visão errônea do que são as ligações externas. Você escreveu um bocado, parece que argumentou um monte, mas no fim das contas não há muito que se salve de sua argumentação.
--Valdir Jorge  fala!
10h58min de 23 de agosto de 2016 (UTC)

Predefinição:flex.en[editar]

Olá Jéssica! Vi que você tentou modificar a predefinição, mas depois desfez tudo. O que estava tentando? Talvez eu possa ajudar, mostrar como é. Cumprs, Luan (Discussão) 16h03min de 1 de setembro de 2016 (UTC)

Era uma coisa que eu tentei fazer, mal sucedida, não se preocupe, já reverti tanto à última edição anterior a mim quanto retirei os parâmetros relacionados a ela nos pontos que seria aplicada, desculpa. --Jéssy (Discussão) 06h23min de 2 de setembro de 2016 (UTC)
Não precisa de "desculpas". Foi somente curiosidade e vontade de ajudar minhas. --Luan (Discussão) 23h55min de 5 de setembro de 2016 (UTC)

Predefinição:escopo2[editar]

Olá Jéssica! Estou aqui para te pedir mais atenção no uso dessa predefinição. Vejo que tem substituído a número 1 pela número 2 indiscriminadamente. Peço que veja as instruções, persistindo dúvidas, pode me perguntar. Observe o que fiz em koala. Por favor, reveja outras edições que tenha feito para corrigir outros usos indevidos/desnecessários. Cumprs, Luan (Discussão) 00h08min de 6 de setembro de 2016 (UTC)

Boa tarde, amiga Jéssica, vim lhe agradecer por melhorar três de meus artigos por aqui![editar]

Sou o autor dos artigos amerimanga, la nouvelle manga e americanime e notei que você os melhorou a nível de qualidade técnica e visual, meus parabéns, de verdade!

Inclusive e principalmente, se for de seus inteiros e totais agrado e interesse, adicione-me ao Facebook e Skype, meu login neles é saviochristi!

A propósito: qual sua opinião do amerimanga, la nouvelle manga e americanime?

Saviochristi (Discussão)

Okinawa[editar]

Por favor, evite guerra de edições. Como eu disse na ementa das minhas edições, se houver alguma divergência, entre em contato comigo ou leve a matéria à Esplanada. Tribuno da Plebe SPQR 14h31min de 9 de novembro de 2016 (UTC)

"Se sim, ouve e aumenta ou dá efeito positivo,..."[editar]

Sem dizer o que é, para si, 'dar efeito negativo´ não sei descodificar o seu 'dá efeito positivo?'.

Vemos, ouvimos e lemos
Não podemos ignorar
... ... ... ... ...
De: Sophia de Mello Breyner Andresen
Boas Festas! Lucefécit (Discussão)

Nenhum dicionário brasileiro registra elefoa. Não insista.[editar]

E de acordo com a sua página você deixou o projeto em setembro passado.

Umildemente desejo opinar: pós-acordo, usado sem estar promulgado, os dicionários da língua portuguesa tanto são brasileiros como são portugueses.
Língua Portuguesa com Acordo Ortográfico
elefoa
e.le.fo.a • iləˈfoɐ
nome feminino
Brasil? fêmea do elefante
De elefante
Tira dúvidas: [[1]]
Umildemente iniciei o projeto este mês como sendo um dicionário da língua portuguesa — espero não estar enganado...
Muito obrigado por tudo e desculpem as minhas aselhices.

Resposta à discussão em minha pê-dê-u[editar]

Senhora JS, em muitos casos eu escuto música enquanto edito neste projeto. Agradeço-lhe de todo o meu coração! Desejo-lhe um Próspero Advento de Dois Mil e Dezesseis! Obrigado! 1973 Antônio Marcos O Homem de Nazaré 01h50min de 22 de dezembro de 2016 (UTC)

Feliz Natália[editar]

Desejo a você e a todos os usuários da Wikipédia, do Wikcionário e do Wikinotícias uma Feliz Natália e um próspero ano novo. Natália porque é o feminino de Natal.

Leonardo José Raimundo (Discussão) 06h47min de 25 de dezembro de 2016 (UTC)

badmínton[editar]

Jéssica S. Ciqueira,
Entenda que não faz o menor sentido mandar o leitor "ver também" um verbete inexistente. É totalmente inócuo.
Logo, remover o link que aponta para o nada, para o vazio, significa remover... o nada.
Remover o nada = remoção de nada.
No entanto, apagar a seção de etimologia e a seção de referências, como fez, é, claramente destruição de conteúdo válido. E pode, sim, ser considerado um ato de vandalismo. Percebe a diferença? --Yone Fernandes (Discussão) 06h52min de 26 de dezembro de 2016 (UTC)
De todo modo, para não perdermos mais tempo e energia com essa querela, criei o verbete badmintonista e recoloquei a seção "Ver também" (que agora não aponta mais para o vazio) e recuperei os conteúdos das seções de etimologia e referências, que haviam sido apagadas. Estamos de acordo? --Yone Fernandes (Discussão) 07h50min de 26 de dezembro de 2016 (UTC)

Re:Oi[editar]

Gosto de ouvir música - esteja ou não editando/pesquisando. Acredito que ouvir música instrumental melhore a minha concentração e possivelmente me torne mais produtiva. Em geral, ouço a rádio Cultura FM --Yone Fernandes (Discussão) 08h51min de 26 de dezembro de 2016 (UTC)


Feliz 2017[editar]

Muito obrigado, Jéssica. Para você também.

Leonardo José Raimundo (Discussão) 00h09min de 5 de janeiro de 2017 (UTC)

Share your experience and feedback as a Wikimedian in this global survey[editar]

Referências

  1. Essa pesquisa foi projetada para receber comentários sobre o trabalho atual da WMF, não sobre sua estratégia a longo prazo.
  2. Por questões legais: nenhuma compra necessária. Deve ser maior de idade para participar. Patrocínio pela Fundação Wikimedia, localizada em 149 New Montgomery, São Francisco, CA, EUA, 94105. Válido até 31 de janeiro de 2017. Nulo onde esteja proibido. Clique aqui para ver as regras do concurso.(em inglês).

Uso de abreviações em frases de exemplo[editar]

Olá Jéssica!

Citação: Você escreveu: «O significado da representação de sigla ou símbolo após um sinal de igual numa tabela assim (só um exemplo):
[...]
Isso descrito acima assim de sigla/símbolo seguido do significado com um igual entre os dois é um uso válido para fins de exemplicação de uso e consequentemente citabilidade do significado que vai depois à direita do sinal de igual?»

Deixe-me ver se entendi direito sua pergunta. Se estivéssemos descrevendo o que é um centímetro:

  1. unidade de medida equivalente à centésima parte do metro
    • cm = centímetro

Se for isso, eu diria que não, não é válido. Prefiro muito mais ver uma frase de exemplo de uso e não só a abreviação da palavra.

--Valdir Jorge  fala!
15h36min de 19 de janeiro de 2017 (UTC)

Olá Jéssica!
Citação: Você escreveu: «Nos seguintes exemplos, só para eu ver no que há de diferente, as palavras cachorro e gato são válidas ou inválidas na sua opinião com propósito de validade para citação? Aí está:[...]»
Puxa! Agora eu acho que entendo menos ainda o que você está tentando dizer. Do jeito que entendi não seria válido fazer exemplos de uso ou citação desse jeito que você colocou.
Citação: Você escreveu: «Formas pluralizadas com -s contam como citação para a forma canônica?»
Ah! Essa eu posso responder! Os verbetes de formas flexionadas nunca devem ter exemplos de uso. Todos os exemplos de uso devem ser colocados na forma canônica, mesmo aqueles que apresentam formas flexionadas.
--Valdir Jorge  fala!
18h56min de 19 de janeiro de 2017 (UTC)
Olá Jéssica!
Citação: Você escreveu: «Eu só queria saber se frases formadas com símbolo são válidas e queria saber o porquê não»
Bem, eu diria que "frases" formadas só com símbolos são um pouco minimalistas demais. Agora, frases que tenham equações no meio podem ser perfeitamente válidas. Você poderia colocar algo assim:
  • Segundo Einstein, e=mc2, portanto energia é matéria e matéria é energia.
Já colocar pura e simplesmente
  • e=mc2
e dizer que isso é uma frase de exemplo para e (ou para mc) não tem muito cabimento.
Citação: Você escreveu: «Se for criado um verbete de um termo, suponhamos vajor e nele tenha duas citações da forma canônica vajor e uma da forma flexionada valjores, se um pedido de eliminação for posto no verbete desse exemplo, a forma não canônica (valjores) tem o mesmo valor de citação que as outras duas (valjor) para manter o verbete ou a citação flexionada (valjores) não tem valor igual as demais e o verbete num caso assim será eliminado?»
Ah, sim, uma forma flexionada comprova perfeitamente a forma canônica. Só temos que tomar cuidado com algumas exceções: por exemplo, cinzas nem sempre é o plural de cinza.
--Valdir Jorge  fala!
21h19min de 19 de janeiro de 2017 (UTC)
Olá Jéssica!
Citação: Você escreveu: «o mesmo valeria para um caso que eu provo a forma canônica que só tem um gênero e só tem a forma flexionada conforme aquele gênero por não flexionar em outro gênero, assim eu provo com citação a forma canônica, tenho 1 citação dela mas só tenho duas citações da forma flexionada, eu posso criar o verbete com tranquilidade sabendo que as citações flexionadas são válidas e sustentam o verbete e ninguém vai deletar somente por esse motivo de ser usado para abonar junto com a citação canônica uma citação na forma flexionada?»
Bem, se só existem três citações para um verbete no corpus todo da língua, eu certamente não o criaria. Nós temos uma página de protologismos para esse tipo de coisa. Lá você pode colocar quaisquer verbetes não muito bem documentados na língua.
Citação: Você escreveu: «só que eu preciso saber se 1 citação da forma canônica mais duas citações da forma flexionada vão me dar segurança de criar, pois se não der, eu nem crio, se der eu crio, eu não vou morrer por causa disso, só preciso saber se isso é razoável e dentro das regras, se 1 citação canônica mais duas flexionadas cumpre os CdI»
Dê uma outra olhada nos critérios de atestação. Se o "seu" verbete cumprir pelo menos um deles, então pode criá-lo.
Agora uma outra coisa: nós todos que contribuímos com o Wikcionário o fazemos como voluntários; certamente não queremos "comprar briga". Não comece guerras de edições, não entre em guerras de edições, sempre assuma que o outro tem boa-vontade, discuta antes de reverter. Se seguir esses quatro princípios, você vai longe.
--Valdir Jorge  fala!
14h26min de 20 de janeiro de 2017 (UTC)
Citação: Você escreveu: «Preciso saber se 1 citação válida da forma canônica mais citações válidas da forma flexionada no plural são o suficiente para manter um verbete na forma canônica, se puder dizer com um sim ou não eu agradeceria e não insistirei mais com essa pergunta.»
Sim.
--Valdir Jorge  fala!
11h04min de 22 de janeiro de 2017 (UTC)
Oi, obrigada por esclarecer. --Jéssy (Discussão) 17h54min de 23 de janeiro de 2017 (UTC)

a capella e a cappella[editar]

O que acha de conversarmos para sair desse impasse e "destravar" os verbetes, sem guerras de edições?
Topas?
--Yone Fernandes (Discussão) 17h57min de 20 de janeiro de 2017 (UTC)

Citação: você escreveu: «Eu direi o que eu acho e você faça o que achar melhor, acho que foi emprestado do italiano de outrora em que se escrevia com um pê ou como empréstimo de um empréstimo sem passar por dicionário algum do italiano, o dicionário de outra língua não condiciona o que emprestamos, não escolhe para nós, a forma, o jeito, o tempo, nem nada, pois o que escrevemos é feito do nosso uso, não conforme o uso deles lá.--Jéssy (Discussão) 18h34min de 20 de janeiro de 2017 (UTC)»

Pois eu diria que a senhora, de fato, matou a charada filológica. Há indicações de que tenha mesmo havido um empréstimo de outro empréstimo. De acordo com o Dizionario Etimologico de Ottorino Pianigiani (1907), a palavra italiana cappella vem do francês chapelle, chappelle ou chapele (diminutivo de chappe ou chape), através do espanhol capilla, diminutivo de capa. Segundo outras fontes, vem do baixo latim capella (veja TFi, chapelle, e Enciclopedia dell' Arte Medievale: "cappella", diminutivo de capa (relacionado com o latim clássico caput (veja Enciclopedia Treccani: cappa. De todo modo, a palavra parece ter entrado no italiano como capella (com um p e dois l), como diz a senhora. E, pelo menos até o século XVIII, há vários registros dessa forma (capella). Mas, provavelmente, bem antes do XVII o uso da locução italiana referente à forma musical deve ter passado às outras línguas (inclusive para o francês), com a grafia a capella, assim permanecendo, apesar de ter mudado, mais tarde, em italiano, ganhando mais um p.

O sentido religioso da palavra, que depois chegou à forma de música sacra exclusivamente vocal (dita da capella, por Claudio Monteverdi, ou a capella, por Benedetto Marcello), veio da capinha (chapele ou chappelle) de São Martim de Tours (316-397), uma relíquia guardada pelos reis da França, numa espécie de santuário (veja Manno, Giuseppe ‘’Della fortuna delle parole libri due’’ vol. 2, p.110). Por antonomásia, a palavra chapele (depois chapelle) passou a designar apenas "aquela" capinha – a de São Martim – e o santuário, onde a relíquia ficava depositada, que foi construído por Carlos Magno (c. 742 - 814) em Aix (que, por isso, passou a se chamar Aix-la-Chapelle). A partir do século IX, a palavra passou a designar o oratório do palácio de um soberano (a capela palatina).

Disso tudo, concluo que as três formas - a capella, a cappella e mesmo a forma aportuguesada "à capela", registrada no "Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea", da Academia das Ciências de Lisboa - são defensáveis [2] e devem ter seus verbetes no wikt. Devo, portanto, pedir a retirada do pedido de eliminação de a capella. Está bem assim? --Yone Fernandes (Discussão) 06h53min de 22 de janeiro de 2017 (UTC)

Olá, há um problema em diversos artigos e verbetes de Wikipédia e Wikcionário em português, inglês e espanhol![editar]

Andam dizendo que a tira cômica, charge e cartum são sinônimos, quando, na verdade, são coisas diferentes!

Abaixo, as explicações de que são as tiras cômicas, charges e cartuns:

  • Tira cômica: história em quadrinhos de curta duração e com os quadros dispostos e organizados em forma de uma tira, como o próprio nome já implica. As tiras cômicas podem ou não ser engraçadas ou não ser humorísticas, geralmente, em preto e branco (embora algumas sejam coloridas) ou dominicais, publicadas em grandes quantidades, sempre coloridas e ocupando um espaço equivalente a, no mínimo, uma página inteira. O termo vem do inglês americano, comic strip e significa tira de história em quadrinhos.
  • Charge: história em quadrinhos humorística de curta duração e que contém fortes críticas às pessoas e coisas da contemporaneidade. O termo vem do francês franco-belga, charger e significa carga ou exagero.
  • Cartum: história em quadrinhos humorística e que contém fortes críticas às situações do dia a dia. Por causa das semelhanças entre os primeiros curtas-metragens de animação e os cartuns impressos e publicados em jornais, revistas e livros da época, o desenho animado também é chamado de cartoon (ou, por extenso, animated cartoon), sendo ou não humorístico. O termo vem do inglês britânico, cartoon e este do italiano, cartone e significa pedaço de cartão grande, esboço ou estudo.

Aqui estão os artigos para serem revistos nos respectivos idiomas: https://pt.wikipedia.org/wiki/Tira_de_banda_desenhada, http://pt.wikipedia.org/wiki/Charge, https: //pt.wikipedia.org/wiki/Cartoon, https://en.wikipedia.org/wiki/Comic_strip, https://en.wikipedia.org/wiki/Editorial_cartoon, http://en.wikipedia.org/wiki/Cartoon, https://es.wikipedia.org/wiki/Tira_de_prensa, https://es.wikipedia.org/wiki/Exageraci%C3%B3n_burlesca, http://es.wikipedia.org/wiki/dibujo_humorístico, https://pt.wiktionary.org/wiki/tira_cômica, https://pt.wiktionary.org/wiki/charge, https://pt.wiktionary.org/wiki/cartum, https://en.wiktionary.org/wiki/comic_strip, https://en.wiktionary.org/wiki/charge, https://en.wiktionary.org/wiki/cartoon, https://es.wiktionary.org/wiki/tira_cómica, https://es.wiktionary.org/wiki/charge e https://es.wiktionary.org/wiki/cartón!

Inclusive e principalmente, o certo é que os artigos da Wikipédia (descritos logo acima!) devem receber os seguintes nomes em cada idioma: Tira de banda desenhada, Charge e Cartum (desenho humorístico) - em português, Comic strip, Charge (humoristic drawing) e Cartoon em inglês e Tira de historieta, Charge (dibujo humorístico) e Cartón (dibujo humorístico) - em espanhol!

Lembrando e ressaltando que a caricatura não tem nada a ver com os outros três, porque não é uma forma de história em quadrinhos: é, simplesmente, um desenho humorístico exagerado de algo ou alguém, seja real ou não, ela nem sequer tem textos!

E bem, como você pode ver, o cartum não é um tipo de tira cômica, nem a charge é um tipo de cartoon, se possível, por favor, avise a seus colegas editores para fazerem as alterações, muito obrigado desde já por toda a atenção e interesse e um abraço!


Saviochristi (Discussão)

Eu recomendo a você fazer força para mudar a Wikipédia em inglês com bom convencimento lá que a em pt muda uns 3 segundos depois sem você precisar argumentar nem nada, você economiza tempo, eu como não edito nesses projetos, não tenho como te auxiliar com isso. --Jéssy (Discussão) 18h16min de 21 de janeiro de 2017 (UTC)

BBC Brasil e G1[editar]

Olá Jéssica!

Citação: Você escreveu: «O saite BBC Brasil e G1, no tocante às suas páginas de notícias apenas, são fontes usáveis como fonte de citação para abonar verbetes como pede os CdI? Eles são qualificados em conformidade com os CdI para esse propósito de citação ou estão fora? Poderia me dizer?»

Puxa, eu achei que tínhamos parado com isso...

Sim esses sites parecem bem fidedignos para servirem de referência.

Aqui é um wiki, não precisa pedir permissão para isso ou para aquilo. Crie o que tiver que criar, aceite que outros vão melhorar/acrescentar ao seu trabalho e bola para frente. Se você criar algo que causa dúvidas, debata, explique e se for voto vencido, aceite. Não é vergonha nenhuma.

Não precisa ficar o tempo todo na defensiva. Como diz o fundador do movimento: "Be bold!".

--Valdir Jorge  fala!
16h15min de 28 de janeiro de 2017 (UTC)

Olá, há um problema em diversos artigos e verbetes de Wikipédia e Wikcionário em português, inglês e espanhol![editar]

Andam dizendo que a tira cômica, charge e cartum são sinônimos, quando, na verdade, são coisas diferentes!

Tira cômica (comic strip em inglês e tira cómica em espanhol): história em quadrinhos de curta duração, com os quadros (que costumam variar entre um e cinco, sendo três o mais comum) dispostos e organizados em forma de uma tira, como o próprio nome já implica e sendo ou não humorística. A tira cômica critica os valores da sociedade. Existem três tipos de tiras cômicas: as tiras diárias (daily strips em inglês e tiras diarias em espanhol), geralmente, impressas em pequenas quantidades devido ao ritmo de publicação, em preto e branco (embora algumas em cores) e com três quadros (embora algumas contendo entre um e cinco), as pranchas dominicais (Sunday boards em inglês e planchas dominicales em espanhol), geralmente, impressas em grandes quantidades, em cores (embora algumas em preto e branco) e com um maior número de quadros que ocupam uma página inteira e as yonkomas (yonkomas mesmo em inglês e espanhol), de origem japonesa, com quatro quadros na vertical (embora algumas na horizontal) e que sempre tratam de temas sérios, mas de forma humorística. Etimologia: do inglês americano, comic strip, tira de história em quadrinhos.

Charge (charge mesmo em inglês e espanhol): história em quadrinhos de curta duração, geralmente, ocupando um único quadro, contendo uma sátira ou mensagem em vez de uma história e sendo humorística (embora algumas com mais de um quadro, com histórias e não sendo humorísticas). A charge critica as pessoas e coisas da contemporaneidade. Etimologia: do francês franco-belga, charger, carga ou exagero.

Cartum (cartoon em inglês e cartón em espanhol): história em quadrinhos de curta duração, geralmente, ocupando um único quadro, contendo uma sátira ou mensagem em vez de uma história e sendo humorística (embora algumas com mais de um quadro, com histórias e não sendo humorísticas). O cartum critica as situações do dia a dia. Devido às semelhanças entre os primeiros curtas-metragens de animação e os cartuns impressos e publicados na época, o nome cartoon em inglês também se refere ao desenho animado, por extenso, animated cartoon. A mesma coisa acontece em italiano e alemão, onde o desenho animado se chama, respectivamente, cartone animato e animierte Cartoon. Etimologia: do inglês britânico, cartoon e este do italiano, cartone, pedaço de cartão grande, esboço, estudo, rascunho ou anteprojeto.

Aqui estão os artigos e verbetes para serem revistos nos respectivos idiomas: https://pt.wikipedia.org/wiki/Tira_de_banda_desenhada, https://pt.wikipedia.org/wiki/Charge, https: //pt.wikipedia.org/wiki/Cartoon, https://en.wikipedia.org/wiki/Comic_strip, https://en.wikipedia.org/wiki/Editorial_cartoon, https://en.wikipedia.org/wiki/Cartoon, https://es.wikipedia.org/wiki/Tira_de_prensa, https://es.wikipedia.org/wiki/Exageraci%C3%B3n_burlesca, https://es.wikipedia.org/wiki/Dibujo_humorístico, https://pt.wiktionary.org/wiki/tira_cômica, https://pt.wiktionary.org/wiki/charge, https://pt.wiktionary.org/wiki/cartum, https://en.wiktionary.org/wiki/comic_strip, https://en.wiktionary.org/wiki/charge, https://en.wiktionary.org/wiki/cartoon, https://es.wiktionary.org/wiki/tira_cómica, https://es.wiktionary.org/wiki/charge e https://es.wiktionary.org/wiki/cartón!

Inclusive e principalmente, o certo é que os artigos da Wikipédia (descritos logo acima!) devem receber os seguintes nomes em cada idioma: Tira de banda desenhada, Charge e Cartum (desenho humorístico) - em português, Comic strip, Charge (humoristic drawing) e Cartoon em inglês e Tira de historieta, Charge (dibujo humorístico) e Cartón (dibujo humorístico) - em espanhol!

Lembrando e ressaltando que a caricatura não tem nada a ver com os outros três, porque não é uma forma de história em quadrinhos: é, simplesmente, um desenho humorístico exagerado de algo ou alguém, seja real ou não, ela nem sequer tem textos!

Aliás, todas as minhas edições nesse sentido já estão sendo revertidas, não sei porque, já que entendo bastante de histórias em quadrinhos, pelo que sou desenhista, escritor e roteirista de histórias em quadrinhos, de tal forma que não sou nenhum amador e leigo no assunto todo, veja bem isso!

E bem, como você pode ver, o cartum não é um tipo de tira cômica, nem a charge é um tipo de cartum, se possível, por favor, avise a seus colegas editores para fazerem as alterações, muito obrigado desde já por toda a atenção e interesse e um abraço! Saviochristi (Discussão) 10h58min de 16 de fevereiro de 2017 (UTC)

Olá, há um problema em diversos artigos e verbetes de Wikipédia e Wikcionário em português, inglês e espanhol![editar]

Andam dizendo que a tira cômica, charge e cartum são sinônimos, quando, na verdade, são coisas diferentes!

Tira cômica (comic strip em inglês e tira cómica em espanhol): história em quadrinhos de curta duração, com os quadros (que costumam variar entre um e cinco, sendo três o mais comum) dispostos e organizados em forma de uma tira, como o próprio nome já implica e sendo ou não humorística. A tira cômica critica os valores da sociedade. Existem três tipos de tiras cômicas: as tiras diárias (daily strips em inglês e tiras diarias em espanhol), geralmente, impressas em pequenas quantidades devido ao ritmo de publicação, em preto e branco (embora algumas em cores) e com três quadros (embora algumas contendo entre um e cinco), as pranchas dominicais (Sunday boards em inglês e planchas dominicales em espanhol), geralmente, impressas em grandes quantidades, em cores (embora algumas em preto e branco) e com um maior número de quadros que ocupam uma página inteira e as yonkomas (yonkomas mesmo em inglês e espanhol), de origem japonesa, com quatro quadros na vertical (embora algumas na horizontal) e que sempre tratam de temas sérios, mas de forma humorística. Etimologia: do inglês americano, comic strip, tira de história em quadrinhos.

Charge (charge mesmo em inglês e espanhol): história em quadrinhos de curta duração, geralmente, ocupando um único quadro, contendo uma sátira ou mensagem em vez de uma história e sendo humorística (embora algumas com mais de um quadro, com histórias e não sendo humorísticas). A charge critica as pessoas e coisas da contemporaneidade. Etimologia: do francês franco-belga, charger, carga ou exagero.

Cartum (cartoon em inglês e cartón em espanhol): história em quadrinhos de curta duração, geralmente, ocupando um único quadro, contendo uma sátira ou mensagem em vez de uma história e sendo humorística (embora algumas com mais de um quadro, com histórias e não sendo humorísticas). O cartum critica as situações do dia a dia. Devido às semelhanças entre os primeiros curtas-metragens de animação e os cartuns impressos e publicados na época, o nome cartoon em inglês também se refere ao desenho animado, por extenso, animated cartoon. A mesma coisa acontece em italiano e alemão, onde o desenho animado se chama, respectivamente, cartone animato e animierte Cartoon. Etimologia: do inglês britânico, cartoon e este do italiano, cartone, pedaço de cartão grande, esboço, estudo, rascunho ou anteprojeto.

Aqui estão os artigos e verbetes para serem revistos nos respectivos idiomas: https://pt.wikipedia.org/wiki/Tira_de_banda_desenhada, https://pt.wikipedia.org/wiki/Charge, https: //pt.wikipedia.org/wiki/Cartoon, https://en.wikipedia.org/wiki/Comic_strip, https://en.wikipedia.org/wiki/Editorial_cartoon, https://en.wikipedia.org/wiki/Cartoon, https://es.wikipedia.org/wiki/Tira_de_prensa, https://es.wikipedia.org/wiki/Exageraci%C3%B3n_burlesca, https://es.wikipedia.org/wiki/Dibujo_humorístico, https://pt.wiktionary.org/wiki/tira_cômica, https://pt.wiktionary.org/wiki/charge, https://pt.wiktionary.org/wiki/cartum, https://en.wiktionary.org/wiki/comic_strip, https://en.wiktionary.org/wiki/charge, https://en.wiktionary.org/wiki/cartoon, https://es.wiktionary.org/wiki/tira_cómica, https://es.wiktionary.org/wiki/charge e https://es.wiktionary.org/wiki/cartón!

Inclusive e principalmente, o certo é que os artigos da Wikipédia (descritos logo acima!) devem receber os seguintes nomes em cada idioma: Tira de banda desenhada, Charge e Cartum (desenho humorístico) - em português, Comic strip, Charge (humoristic drawing) e Cartoon em inglês e Tira de historieta, Charge (dibujo humorístico) e Cartón (dibujo humorístico) - em espanhol!

Lembrando e ressaltando que a caricatura não tem nada a ver com os outros três, porque não é uma forma de história em quadrinhos: é, simplesmente, um desenho humorístico exagerado de algo ou alguém, seja real ou não, ela nem sequer tem textos!

Aliás, todas as minhas edições nesse sentido já estão sendo revertidas, não sei porque, já que entendo bastante de histórias em quadrinhos, pelo que sou desenhista, escritor e roteirista de histórias em quadrinhos, de tal forma que não sou nenhum amador e leigo no assunto todo, veja bem isso!

E bem, como você pode ver, o cartum não é um tipo de tira cômica, nem a charge é um tipo de cartum, se possível, por favor, avise a seus colegas editores para fazerem as alterações, muito obrigado desde já por toda a atenção e interesse e um abraço!

Saviochristi (Discussão) Saviochristi (Discussão) 11h02min de 16 de fevereiro de 2017 (UTC)

Catégorie Verbos (Portugues)[editar]

Bom dia, Bonjour,

No fala portugues, disculpe. Votre page Utilizador:Jéssica S. Ciqueira/dicionário/wiki/miguelar figurait dans le liste des verbes portugais à la lettre 'J'. J'imagine que ce n'était pas une volonté de votre part. Je me suis donc permis d'ajouter la mention appropriée dans le code de votre page. Sur celle-ci, l'affichage est inchangé, mais l'ajout de 'nocat=1' empêche l'indexation sur la page de catégorie. Cordialement, et Hop ! Kikuyu3 (Discussão) 10h22min de 8 de fevereiro de 2018 (UTC)