Discussão:galego

Origem: Wikcionário, o dicionário livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

No Nordeste, galego é sinônimo de loiro, mas não é pejorativo. --Patrick 12:11, 1 Set 2004 (UTC)

Na verdade, eu nunca ouvi "galego" ser usado como [sinônimo de] loiro, seja de modo pejorativo ou não (talvez seja porque nunca fui pro Nordeste). Você acha que devemos colocar duas definições, uma usada apenas no Nordeste e que não é pejorativa e outra pejorativa, ou simplesmente retirar o "pejorativo"? -- Leuadeque 18:31, 1 Set 2004 (BRT)
Em Santa Catarina também galego é sinônimo de loiro. e2m

Pelo que vi no Houaiss, galego só é pejorativo quando usado em relação a estrangeiros e dependendo do contexto. Exemplo: O Brasil venceu a final da Copa do Mundo contra a Alemanha. Os galegos jogaram muito mal! Funciona, neste caso, como um sinônimo de gringo. --Patrick 11:00, 3 Set 2004 (UTC)

Coloquei entre parênteses "Brasil" e "pejorativo", apenas pra diferenciar melhor do resto da definição. Espero não haver nenhum problema com isso. -- Leuadeque 17:01, 3 Set 2004 (BRT)

Ficou bom :-). --Patrick 09:17, 5 Set 2004 (UTC)

Galego - Português?[editar]

Há quem diga que o galego é português (ou uma variante dele). Há quem diga que não, que são na verdade línguas diferentes. Fico na Dúvida. Alguém consegue esclarecer o assunto? eu até pesquisava mas tou com a internet muito lenta, não sei porquê (Isto do ADSL só da problemas...) para além de o meu pc ter estado estragado (+1 vez) e por isso me ausentei por uns tempos. Vou tentar resolver o problema para poder contribuir para o wikcionário tão activamente como gostaria. Abraços --E-roxo 23:10, 18 Out 2004 (UTC)

Este é um assunto complicado, mas fiz algumas pesquisas que podem ajudar. A "mensagem misteriosa" dizia que a Wikipédia dizia, nas entradas "Galiza", "Português" e "Galego", que o galego era a mesma língua que o português. Em w:Galego (moderno), na verdade nom se diz nada, mas em w:Galiza realmente se indica que o galego é uma variante do português, o que gerou uma discussão que nom chegou a conclusão nenhuma. O que se diz no wikcionário inglês é mais completo: alguns estudiosos galegos dizem que ele é uma língua separada e outros que dizem que não, o que continua nom levando a nenhuma conclusão. Acho que o mais importante é considerar o que é dito na entrada "galego" da Wikipédia Galega: há pessoas que querem considerar os dois uma mesam língua, mas o galego é uma língua independente. E acredito que essa seja também a opinião da Wikimedia, já que ela criou uma Wikipédia e um Wikcionário galego separados dos Wikis portugueses. -- Leuadeque 20:01, 19 Out 2004 (UTC) (PS: Acho que a opinião do amigo Aricum seria muito interessante.)
Ben, como dicides non hai unha conclusión definitiva. Penso que a maioría dos galegos ven a súa lingua como independente, mais o descoñecemento que teñen do portugués é grande, eu tamén. Porén, acho que sería bo para a Galiza abrirse á cultura do portugués, aproveitando as semellanzas, moitas, e aprendendo as diferenzas, poucas. Un primeiro achegamento podería ser "simplesmente" cambiando a Normativa Ortográfica, daquela veríase que as palabras son apenas todas iguais e permitiría a edición na Galiza da literatura do portugués, os textos científicos, etc. Mais non todos están dacordo con isto e así seguimos :). --Aricum 19:33, 20 Out 2004 (UTC)
Obrigado pela opinião, Aricum. Pensei um pouco e me lembrei do "princípio da imparcialidade". Acho que se mostrarmos só um dos pontos-de-vista estaremos sendo parciais. Então, mesmo eu acreditando que o Galego é uma língua distinta, acho bom colocarmos um aviso dizendo que existem estudiosos que o consideram uma variante do português. Por isso, vou colocar uma nota após a definição de galego alertando sobre isso. Vou fazer o mesmo em relação ao indonésio (que alguns consideram dialeto do malaio). Me digam o que acham! -- Leuadeque 19:28, 21 Out 2004 (UTC)
Ôpa, nom tinha reparado que já tinham feito uma alteração em galego. Por causa disso, eu só adicionei a informação em indonésio. O formato que utilizei é diferente do que já está em galego porque tive a impressão que desse modo poderia ficar um pouco ambíguo. Por favor, continuem a dizer o que acham! -- Leuadeque 19:41, 21 Out 2004 (UTC)


Sou galego e vou pôr aqui a minha opinião sobre a controvérsia ou conflito.

Este mapa ajuda,[1]

Primeiro, galego não é apenas o habitante da atual Galiza, galego é quase qualquer português que mora relativamente ao norte de onde mora o outro primeiro português. Isto é piada e pode provocar irritação, mas não é a minha intenção polemizar, apenas como galego escrever o meu ponto de vista. Do mesmo jeito que o pensamento espanhol, digamos nacionalismo espanhol, trata de uniformizar Espanha, a lusitanidade, ao sul do Minho para mim, atua de igual forma, e assim os rasgos galegos, trasmontanos e minhotos que vão para o sul diluindo-se num continuum, vão desaparecendo devido à uniformização. E inclusive a ideia de serem galegos os habitantes destes territórios é questionada. Muitos dos verbetes "galegos", incorporados neste wikcionário, também são palavras minhotas ou trasmontanas. Entendam: a Gallaecia, ficou partida na época medieval, ao norte uma Galiza espanhola e no sul outro condado, chamado portucalensis, mas condado galego, que gerou o atual Portugal, ambas partes habitadas por galegos. Algumas pessoas deste norte português ainda se consideram assim, vejam aqui como um galego de Portugal manifesta o seu protesto à Priberam por este dicionário conservar a ideia depreciativa sobre o adjectivo galego, que felizmente aqui não é incluída [2]

Por alguma razão, tanto a espanholidade como a lusitanidade renegam e pejoram ao "galego"; gallego no dicionário da Real Academia Española foi até o passado ano sinônimo de tonto.

Segundo, desde o século XV até o ano 80 do século passado XX, o português da Galiza, deixa de ser língua do poder, e a Galiza é administrada em espanhol. Em cinco séculos o português da Galiza, ou galego, é então uma fala de marinheiros e labregos, ausente dos livros até a aparição do romantismo (XVIII), aqueles primeiros escritores recolhem o português oral, galego, e grafam-no à espanhola, pois era o espanhol o idioma que conheciam, o idioma da cultura, da igreja (inclusive hoje [3] ), da universidade, do governo, uma fala carente de cultismos, que são incorporados da língua de maior status, da língua do poder, do espanhol. Aqui começa a forte entrada de vocábulos castelhanos no galego. Saibam que estes primeiros escritores, afixadores e criadores dum "koiné" próprio e novo a partir da fala popular, desconheciam toda a lírica galego-portuguesa, desconheciam o esplendor dum idioma que tinha sido soberano no seu território. Com a chegada da democracia anos 70 do século XX, o português da Galiza começa a poder ser usado oficialmente, entra no ensino, nas aulas, deixa de ser relativamente punido [4], é dirigido por uma instituição nascida herdeira desse espírito romântico, a Real Academia Galega [5]. (Vejam o esforço: nascida fora da Galiza, na Havana, pelas aportações de emigrantes populares, nascida do povo chão, aculturado no seu idioma, ao que inclusive lhe aplicavam coima por falar a sua língua mãe). Mas esta instituição atualmente, hoje, não é do povo chão, é subsidiada pelo estado. É o estado espanhol a través de entidades satelizadas, como a já falada Real Academia Galega e o Instituto da Lingua Galega [6], o que marca ou dirige nestes trinta últimos anos a rota do português na Galiza. Saibam que a administração não aceita escritos no padrão português e sim na forma à española.

É agora outra Academia [7] que nasce também popular, livre de influências do poder, que trata de pôr algo de claridade no assunto. Finalmente dizer que o conflito do galego, é comum em outros idiomas que se vem partidos por fronteiras de tensão, moldavo, flamengo. É por tudo isto, que há galegos a considerarem a reunificação ocorrida nestes trinta últimos anos das diferentes variedades das falas galegas numa só, como um idioma diferenciado e próprio com forte carácter nacionalista e patriótico: "O galego". Empregado como bandeira para fazer fronte à grande penetração do castelhano. O galego entra em conflito com os falantes de espanhol na Galiza, com forte componente preconceituoso, ao verem o galego como uma fala dialetal camponesa e sem futuro, e tratam de que os seus filhos não o estudem na escola, e sentem-no como imposição. Saibam que o número de falantes de português ou galego na Galiza cai geração trás geração. Que haja um wikcionário paralelo galego tem esta explicação, convido a que o visitem e vejam como ali o português está grafado e acentuado à espanhola, além de procurar marcar fortes diferenças com o castelhano fugindo de formas comuns a ele e ao português, e assim mesmo afixando também formas dialectais separadas do português, ainda que as formas comuns sejam vivas nos falares. Entendam que isto é um esboço, e que tudo é mais complexo, pois esta mistura da política com a língua e com preconceitos é muito remexida.— Cpls 23h13min de 31 de agosto de 2010 (UTC)— Cpls 23h13min de 31 de agosto de 2010 (UTC)

Adequação[editar]

Um usuário não-identificado fez várias alterações na página e eu tentei as conciliar com o que já havia anteriormente. Nom entendi que necessidade o usuário viu em remover parte da informação e alterar outra, e por isso a maior parte do que está agora é o que já havia enteriormente. Deixei a "curiosidade" por precaução, mas acho que ela nom é adequaa pro Wikcionário. O que dizem? -- Leuadeque 13:27, 3 Nov 2004 (UTC)

Por mim já tinha pagado, pois a curiosidade é completamente desadequada, tal como disse. Bem, se não tivesses dito nada eu proprio tinha pagado ! --E-roxo 21:41, 3 Nov 2004 (UTC)

Apagado. -- Leuadeque 16:15, 5 Nov 2004 (UTC)

Na acepção de Adjetivo os exemplos não foram muito felizes, uma vez que nas duas frases usa-se galego como substantivo e não adjetivo.Eustaquio Barbosa 18:51, 17 Dez 2004 (UTC)